De cozinheiros que começavam sua carreira a donos de restaurantes premiados, o número de chefs de cozinha que não aguentaram a pressão exercida pela profissão não é baixo.No dia 31 de janeiro de 2016, o chef de cozinha francês Benoît Violier foi o mais novo cozinheiro a ser encontrado morto ao longo dos últimos dez anos.  A INFOOD, então, elaborou uma lista com Violier e outros nove chefs que optaram por tirar suas vidas.

Confira a lista:

Benoît Violier (França)

O chef de cozinha francês Benoît Violier, do restaurante suíço l’Hôtel de Ville, foi encontrado morto em sua casa no fim do último mês de janeiro. Violier possuía três estrelas do tradicional Guia Michelin e já havia obtido inúmeros prêmios gastronômicos. De acordo com um comunicado divulgado pelas autoridades locais, o chef “teria posto fim a seus dias”. A morte de Violier aconteceu três semanas após seu premiado restaurante obter o título de “melhor restaurante do mundo” pelo ranking “La Liste”.

Joseph Cerniglia (EUA)

Joseph Cerniglia morreu aos 39 anos, após se jogar no rio Hudson, em 2010. Três anos antes, o chef norte-americano havia recebido várias críticas na passagem de Gordon Ramsay por sua cozinha, durante as gravações do programa Kitchen Nightmares. A família de Cerniglia, no entanto, afirmou que não há ligação entre os dois fatos e Danielle Wynn, a irmã do cozinheiro, disse que os dois haviam até ficado amigos após o programa. O problema de Cerniglia, de fato, era maior: seu restaurante, o Campania, estava afundado em dívidas.

Josh Marks (EUA)

Famoso por sua participação no reality “Masterchef”, o chef norte-americano Josh Marks foi encontrado morto num beco de Chicago em 2013. A polícia local acredita que Marks se suicidou com um tiro na cabeça. Ao jornal Chicago Tribune, a mãe do chef disse que o recente diagnóstico de esquizofrenia do filho foi o que levou ao trágico desfecho. Após a saúde mental de Marks piorar, ele começou a “ouvir vozes” e chegou até a ser preso pela polícia da Universidade de Chicago. No momento da prisão, a polícia afirmou que Josh Marks acreditava que estava possuído pelo jurado do “Masterchef” Gordon Ramsay, que o teria transformado em Deus.

Homaro Cantu (EUA)

O chef Homaro Cantu, dono do estrelado restaurante Moto, enforcou-se e tirou sua vida em 2015. Pessoas próximas ao chef afirmaram que Cantu estava sempre “querendo fazer mais” e cultivava um ritmo acelerado de trabalho. Ele era conhecido por utilizar a ciência para criar experiências únicas em sua casa. A morte aconteceu um mês após o chef ser processado por um investidor em seu restaurante, que chegou a receber uma estrela do Guia Michelin.

Anthony Sedlak (Canadá)

O chef celebridade canadense Anthony Sedlak morreu de overdose após uma ingestão intencional de “quantidades excessivas de cocaína e oxicodona”. Sedlak foi encontrado morto em seu apartamento em North Vancouver,  em julho de 2012.

Grant Gordon (EUA)

O chef norte-americano Grant Gordon era um dos jovens chefs mais promissores na cidade de Houston. Gordon foi encontrado morto em sua casa, aos 28 anos, em 2014. De acordo com os médicos, a causa da morte foi o ferimento por um tiro na cabeça, que teria sido disparado pelo próprio chef. Apenas uma semana antes do acontecimento, Gordon e dois sócios anunciaram que abririam um restaurante chamado “The Edmont” em Montrose.

Rachel Brown (EUA)

Rachel Brown era uma participante do reality culinário “Hell’s Kitchen”, apresentado pelo chef Gordon Ramsay. Brown foi encontrada morta em sua casa, em 2007. A equipe médica confirmou à imprensa que a cozinheira se matou com um tiro.

Tu Yuangao (China)

O chef de cozinha Tu Yuangao morreu aos 24 anos após se atirar de um alto edifício em 2009. Especialistas e médicos afirmaram que foi encontrado veneno na autópsia do corpo do cozinheiro, que trabalhava no hotel Yonglong. Em sua residência, Yuangao deixou uma carta, em que dizia estar pessimista e que odiava o mundo.

Tony Robijns (Bélgica)

O chef belga Tony Robijsn cometeu suicídio em agosto de 2008, após colidir com um trem em Sint-Truiden. O cozinheiro estava recebendo tratamento em uma clínica psiquiátrica. Robijns comandou a cozinha do restaurante Kasteel Saint-Paul e chegou a ganhar uma estrela Michelin.

Marcus Peter Volke (Austrália)

Antes de cometer suicídio, o chef Marcus Peter Volke matou sua namorada transexual, esquartejou o corpo e cozinhou algumas partes, em 2014. Marcus trabalhava como cozinheiro em navios de cruzeiro. Amigos afirmaram à imprensa que ele era quieto, tímido e parecia ser muito ciumento.

 

(Por Vinícius Andrade)
Foto: Taís Pinheiro

2 ideias sobre “10 chefs de cozinha que cometeram suicídio na última década”

  1. Marcos "Ripp" Cozzella disse:

    Faltou Bernard Loiseau

  2. Infood disse:

    Marcos,
    Obrigado por complementar, faltou mesmo.

    Redação INFOOD

Deixe uma resposta

Micro cozinhas e o desafio da administração de pequenos espaços

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados