gestão de restaurante

Com a automação de sua loja, o dono de restaurante pode reduzir gastos, ganhar agilidade em suas decisões e trazer uma visão mais completa do empreendimento. Portanto, a automoção é importante para a gestão de restaurante. Essa é a visão de Márcio Blak, profissional com 20 anos de experiência em gestão empresarial, que criou a Blak Informatica em 1993 e começou a desenvolver um software para gestão e automação comercial.

Em 1996, Márcio criou o SnackControl para o segmento de bares e restaurantes. Nos anos seguintes, tornou-se referência no mercado, provendo a automação de grandes redes, como o Bob’s, Spoleto, Vivenda do Camarão e Pizza Hut. O negócio cresceu chamando a atenção de concorrentes e interessados em adquirir o ativo, que foi vendido à Bematech em 2008. No ano de 2010, fundou a www.ComerNaWeb.com.br, modelando e orientando o desenvolvimento do portal de e-commerce. Seu objetivo era trazer e-commerce fácil e prático para o mercado de delivery de restaurantes.

Atualmente, Márcio é CEO da Varejo & Consultoria, uma empresa de consultoria para projetos especiais em TI, Web e automação. A V&C, voltada para o mundo web, indica ferramentas para gestão e traz empreendimentos do mundo off-line para o mundo on-line. “Apoiamos, principalmente, empreendedores que desejam ter mais informações – na palma de suas mãos – sobre seus negócios” disse Blak.

Em relação aos desafios na implantação de um sistema no restaurante, Márcio acredita que a questão passe pela cultura do país: “em muitos restaurantes faltam processos definidos, e todo sistema requer processos para que sejam automatizados. Se você não tem processos, não tem o que automatizar. Assim, se você não controla o que entra, se você não lança uma nota fiscal que chega, não é o sistema que vai fazer isso”.

Segundo Márcio Blak, é preciso entender o motivo para fazer esse processo de maneira correta. Depois, uma vez que o dono de restaurante gere os dados para o sistema, o sistema gera resultados para ele. No entanto, o CEO alerta: “se o dono informar dados errados, certamente terá informações que não prestam”. Com bons dados, é possível ter informação de qualidade, que possibilita uma melhor gestão do seu restaurante.

Em relação aos pequenos negócios, os investimentos para a automação da operação e gestão têm, geralmente, três componentes: equipamentos, software e serviços. “Entre software e serviços, gasta-se em média de R$ 4 mil a R$ 6 mil. Já na linha de equipamentos, estima-se, para dois checkouts, um gasto entre R$ 8 mil e R$ 10 mil. Caso não haja processos no estabelecimento, um bom treinamento ou uma consultoria em paralelo são imprescindíveis” afirmou Blak.

 

Por Vinícius Andrade

 

 

Deixe uma resposta

Perder uma estrela Michelin é motivação para reconquistá-la, diz Marcelo Fernandes

Publicidade

Publicidade
-->
-->

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados