Para a maioria dos alunos de gastronomia, começar a carreia dentro do mercado de trabalho depende de um pontapé inicial: procurar um estágio.  Apesar de um estagiário custar menos (ou às vezes, nada) do que um empregado, o mercado exige habilidades especificas dos candidatos, principalmente dentro de uma cozinha, onde o ritmo constante é frenético.

Procurando identificar quais são as principais dificuldades na procura de um estágio, alunos de gastronomia de várias instituições foram entrevistados. A ideia era saber quais os principais desafios para se conseguir uma vaga, e o que os candidatos esperam dessa experiência.

Dentre aqueles que ainda não exercem um estágio…

Requisitos exigidos dos estudantes pelos estágios

As empresas exigem vários pré-requisitos para você preencher uma vaga na cozinha, tais como saber manipular e higienizar alimentos e ambiente de trabalho, ter higiene pessoal, comprometimento, dentre outros, mas, o principal mesmo é o pretendente estar cursando acima do segundo ou terceiro semestre em gastronomia. E, se possuir alguns cursos na área de culinária, será um diferencial a mais na ocupação da vaga”. (Marcelo Tobias, aluno do curso de Gastronomia da Faculdade Hotec)

Que você curse, mas que já tenha experiência na área. porque eles nunca pegam pessoal que só cursa, sem vivência na área”.(Thalita Araujo , aluna da ETEC Uirapuru)

Experiência, uma prática mais especializada, e geralmente eles preferem pessoas que tenham acima de vinte anos”. (Isabele Borovig , aluna da ETEC Uirapuru)

marcelo-tobias

Maior dificuldade para conseguir um estágio

Temos muita dificuldade com a questão de horários que as empresas necessitam do estagiário, porque, a menos que o aluno esteja estudando à noite, fica mais complicado de se conseguir uma oportunidade. Além disso, são poucos os estabelecimentos que contratam estagiários”. (Marcelo Tobias)

O tempo, pois a cozinha exige que você se dedique totalmente. Por mais que seja estágio, você fica um horário a mais ali na cozinha”. (Thalita Araujo)

A especialização, porque eles pedem um tempo maior de experiência do que eu tenho, e também é oportunidade”. (Isabele Borovig)

Orientações dos professores para ingressar no mercado de trabalho

Nossos mestres nos ensinam como agir dentro de um ambiente de cozinha, com postura e atitudes de um profissional, respeito aos colaboradores e respeito ainda maior com os ingredientes. Também nos ensinam a liderar equipes e a construir um ambiente que seja agradável para se trabalhar, pois, a maior parte do seu dia, será dentro de uma cozinha”. (Marcelo Tobias)

“No inicio do curso passavam mais, mas passam sim. As vezes passam panfletos falando de estágio”. (Thalita Araujo)

No começo sim. No primeiro semestre, tinha na nossa grade curricular uma aula que falava somente de postura profissional, e a instituição oferece alguns estágios oferecidos pela internet”. (Isabele Borovig)

isabele-borovig-e-thalita-araujo

Já com relação aqueles alunos que estagiam…

Como foi conseguir um estágio

Intermediário, pois escolhi os melhores restaurantes de São Paulo. Se não fosse por indicação, acho que seria mais difícil“. (Kauê Silva Loula , aluno da Famesp – Faculdade Método São Paulo)

No meu caso não, pois foi junto das forças armadas. Trabalho na cozinha de um quartel”. (Daniel Pereira Aleixo, aluno do Centro Universitário Anhanguera)

O primeiro desafio dentro de uma cozinha

O calor que tem dentro de uma cozinha,  às vezes um absurdo, chegando a uns 47°C”. (Daniel Pereira Aleixo)

As orientações que o restaurante passa para o estagiário

“No D.O.M. fui muito bem instruído. Claro que isso muda de restaurante para restaurante. Nem todos são tão solícitos, ainda mais pela cultura difícil nas cozinhas”. (Kauê Silva Loula)

No inicio, fui orientado dos riscos, do perigo de se queimar, etc”. (Daniel Pereira Aleixo)

Possibilidade de efetivação

Se você se mostrar um bom profissional, tem grandes chances de ser efetivado, mas para isso precisa sempre estar estudando e estar a frente dos outros colegas”. (Kauê Silva Loula)

Oferece, dependendo do desempenho no serviço”. (Daniel Pereira Aleixo)

fernando-souza

Também conversamos com Fernando Souza, graduado em gastronomia pela Faculdade Metodista em 2013, e que atualmente trabalha no Calçada Food Truck. Quando questionado sobre a dificuldade de conseguir um estágio no inicio do curso, Fernando relata: “Fiz estágio no primeiro ano de faculdade, algo em torno de 3 meses. Não achei tão difícil. Aprender na prática é sempre melhor. Uma dica é não deixar para última hora, e, por mais que às vezes não goste do local escolhido para estagiar, aproveite, pois isso conta muito!”.

No mercado de trabalho, em que a concorrência é alta, conseguir uma vaga dentro de um restaurante pode ser uma chance de ouro. Mas, esforço, dedicação e persistência são os ingredientes principais para atingir os primeiros passos na busca de uma carreira sólida.

 

Por Patricia Kawakami
(aluna de Jornalismo da Faculdade Anhanguera)

 

 

Uma ideia sobre “A dificuldade do primeiro estágio para os alunos de gastronomia”

  1. Rui Ventura disse:

    Isto posto, fica claro que a saída é as faculdades darem mais aulas práticas, mas práticas de verdade. Pois o ambiente de cozinha de que se fala na sala de aula – e o que a realidade apresenta não têm muita diferença, é só como do dia para a noite. Além de que não formam chefes de cozinha – chefe de cozinha se faz “no batente”.

Deixe uma resposta

Micro cozinhas e o desafio da administração de pequenos espaços

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados