Quantas vezes já ouvimos as frases: ”tempo é dinheiro” ou “quem tem pressa come cru e quente”? Focando na realidade do negócio, se há tempo para esperar, o empresário pode se planejar melhor para obter dos fornecedores melhores ofertas, se conseguir não incluir os recebíveis em custos rotineiros e a medida que for recebendo, não gastá-los e, sim, poupá-los por um certo período, poderá ter em mãos dinheiro para melhor negociação de preço/custo. Por outro lado, se há pressa, ou a necessidade do dinheiro para agora, paga-se o preço e juros altos.

Na correria do dia a dia, entre todas as preocupações que o empresário precisa ter, desde a chegada dos seus funcionários, a limpeza ideal do seu estabelecimento, das compras dos melhores ingredientes, armazenamento adequado de frutas e verduras, pratos especiais, controle de qualidade, validade, atendimento ao cliente, há uma preocupação muito importante que, apesar de muitos empresários saberem, poucos dão importância ou fazem de forma eficiente: o acompanhamento financeiro detalhado de seus negócios.

Fluxo de caixa correto; planejamento financeiro; sazonalidade; compras à vista com vendas a prazos; pagamento da fatura do cartão de crédito da empresa; fazer uso do cheque especial, recorrer a crédito direto ou fazer antecipação de recebíveis são decisões que o empresário precisa tomar constantemente e com bastante atenção para não ter problemas financeiros com o seu negócio.

Uma linha de crédito que muitos empresários utilizam é a de antecipar os recebíveis, que é um dinheiro que receberia no futuro decorrente de um parcelamento, porém, com a opção de receber o total do valor no presente, em uma única parcela. Contudo, para essa antecipação, paga-se uma taxa que deverá ser menor do que a taxa do crédito direto ou cheque especial para ser a melhor opção de empréstimo, pois é um “empréstimo” do seu próprio dinheiro. Essa alternativa parece bem atrativa, comparando com as demais taxas ou juros de outros empréstimos, mas deve ser em caráter de exceção e não fazer parte do fluxo financeiro mensal, afinal, essa taxa é um custo não previsto sobre tal venda, o que consequentemente reduz a lucratividade.

Abaixo segue um comparativo de taxas:


antecipação de recebiveis1

Na análise, é importante levar em consideração a taxa paga versus a margem de lucro, se realmente valerá a pena obter um ganho tão pequeno, ou ainda, em algumas situações, com as taxas + impostos não se obtém lucro.

antecipação de recebiveis2

Se, após concluir a análise, optar em contratar a antecipação de recebíveis como prioridade, é necessário fazer uma pesquisa das instituições financeiras com menores taxas, qual tem o melhor relacionamento e mais vantagens nas operações realizadas ou até mesmo isenções nas transações, pois cada uma tem política específica. Após escolher a instituição financeira, dê preferência para antecipar recebíveis de menor valor, pois o risco e a taxa de juros serão menores. Depois, dê preferência para antecipar recebíveis com os melhores sacados, pois diminui o risco para as instituições financeiras e, consequentemente, os juros também.

 

* Homero Flávio Cordeiro Júnior é Consultor Financeiro, Professor de Finanças em TI, Engenheiro Eletrônico com MBA em Gestão Empresarial. Ele escreve para a INFOOD às sextas-feiras.

homero@financasplanejadas.com.br 

Deixe uma resposta

Acessibilidade na gastronomia

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados