Muito pode ser dito sobre o Guia Michelin, mas o certo é que ele desperta o desejo de todos os chefs no Brasil e no mundo. Na semana passada conhecemos a lista da edição brasileira de 2017, numa festa que reuniu os grandes nomes de nosso mercado.

Muitos falaram do frio na barriga, e nesse ano isso ficou mais claro com a saída de algumas casas das listas. Tristeza para alguns, mas muita alegria para quem passa a fazer parte do Guia. Temos 3 novas casas estreladas e 8 novas Bib Gourmand (relação qualidade e preço)

O fato é que o Guia coloca a gastronomia brasileira na vitrine do mundo. Importante sempre entendermos o critério da avaliação e seu formato, para não cobrarmos da lista do guia mais do que ela pode oferecer. Alguns comentários falam de casas pelo Brasil, mas o Guia só avalia o Rio e São Paulo.

Reunimos neste texto alguns depoimentos de chefs estrelados, os bib gourmound e alguns convidados que estiveram na festa.

É um sonho, sem dúvida, a gente trabalha sim para ganhar a terceira. Mas o grande desafio é manter. Não dá para vir num evento como esse e não ter medo de perder.”  Alex Atala – D.O.M

Helena Rizzo e Bruno Lima

Eu nem cogito uma segunda estrela, porque, conhecendo o Guia Michelin, eu acho que o Maní não tem o perfil de um restaurante duas estrelas.  A gente é muito simples, bem despojado. Eu já acho lindo a gente ter uma estrela.  E o Maní é a nossa cara, como a gente gosta de trabalhar e de atender os clientes.” Helena Rizzo – Maní

A expectativa é manter. Não tenho mais nenhuma expectativa. Eu não tenho nenhum pressa em chegar.” Rafael Costa e Silva – Lasai

Os prêmios são todos importantes. É um prestígio para a gastronomia brasileira ter o Michelin aqui. A gente trabalha com pessoas, com aquilo que a gente acredita, e a premiação é mais uma consequência. Claro que a gente quer entrar, quer ter uma estrela. Quem tem uma, quer ter duas, quem tem duas, quer ter três.” Felipe Bronze – ORO

Não penso numa segunda estrela para o nosso restaurante, em função do formato dele. Não temos essa pretensão.  E manter uma estrela já é um grande desafio. Eu sinto que o Guia teve um olhar muito generoso e muito aberto para um restaurante da Vila Medeiros, de cozinha brasileira, que tem um formato pouco peculiar.” Rodrigo Oliveira – Esquina Mocotó

Acho que ainda é uma questão meio cultural (no Brasil), da gente não valorizar muito o que tem.  Em qualquer país, com a diversidade que temos, a gastronomia atrairia muito mais gente, estando atrelada ao turismo.” Carlos Bertolazzi

Eu ganhei uma estrela em Paris, como chef, e sei que não é fácil. Eu espero que seja justo. A avaliação do restaurante tem que ser justa, porque a carreira de muitos chefs dependem disso”. Erick Jacquin

Cada vez mais a gente exporta profissionais, e cada vez mais a gente traz profissionais, e também cada vez mais estamos repatriando profissionais. Falo isso por mim mesmo, que estou aqui, mas fiz toda a minha carreira profissional fora. É muito bom voltar para o Brasil. É um momento incrível para estar no Brasil”.  Tadashi Shiraishi

Eu desejo boa sorte a todos. Espero que todos colham os frutos que almejaram. Esse é um momento muito importante para a gastronomia brasileira“. Felipe Rodrigues – Tangará Jean-Geroges

A expectativa primeira é manter a estrela.  E também dá muito frio na barriga estar servindo aqui no coquetel do Michelin, que é o creme de la creme da gastronomia“. Gabriel Matteuzzi – Tete a Tete

Num ano tão complicado, com a crise desse últimos dois anos que estamos enfrentando, manter as estrelas é mais difícil do que ganhar.  Manter toda a qualidade, todo o serviço, é uma determinação muito grande do meu grupo. A gente tenta sempre fazer o melhor“. Marcelo Fernandes

A expectativa eu sempre tenho. Dá aquele frio na barriga. É uma responsabilidade muito maior manter uma estrela Michelin. Estou super feliz do Miya ser Bib Gourmand desde o primeiro ano. Três anos consecutivos já é uma grande conquista.” Flavio Myamura – Miya

Eu não imaginava ganhar nada. O meu restaurante nem é para estrela. Não tenho sommelier, talher…Talvez eu possa ter no futuro um Ton Ton mais chique, de repente…Gustavo Rozzino – Ton Ton

A gente tem que estar feliz de ter sido convidado. O segredo do sucesso é todos entenderem que precisam dar as mãos, trabalhando juntos. É preciso entender que estamos ali para fazer tudo pelo cliente. Porque sem ele, o restaurante está vazio.”  Marcelo Laskani – Piú

Reconhecer o trabalho de alguém através de um prêmio é muito importante. O Bib Gourmound começa, planta uma sementinha, e as estrelas são incríveis e fazem toda a diferença. Esse prêmio é completo. Não é só a cozinha, ele avalia o serviço e como o restaurante funciona. Estou feliz por ver muitos ex-alunos das nossas faculdades no palco.” Rosa Moraes – Diretora Laureate Education

 

Redação

Fotos Fernanda Moura

Deixe uma resposta

Um professor na cozinha. Um cozinheiro em sala.

Publicidade
Publicidade
© 2017 Infood - Todos os direitos reservados