A Hareburger surgiu em 2006 no Rio de Janeiro, através do carioca Raphael Krás e sua crença na alimentação saudável. Depois de longos cinco anos, seus hambúrgueres vegetarianos – carro-chefe da Hare – que eram vendidos na praia, passaram a ser comercializados na primeira loja da marca.

Atualmente, são 11 lojas abertas, com previsão de chegar a 15 até o final do ano, e a 150 em cinco anos, num plano de expansão bem agressivo.

A Infood conversou com Rhapa e seu sócio Marcos Leite na véspera da abertura da primeira loja da rede em São Paulo – que é a primeira da rede totalmente vegana, e ambos demonstravam uma grande alegria e expectativa em chegar às terras paulistanas.

Hare, em sânscrito, significa energia de Deus, energia do Universo. Queremos que toda a nossa comida venha com essa energia”, explica Rapha. E Marquinhos completa: “Uma das formas de se combater a fome no mundo, é a alimentação vegetariana. É um movimento que vem crescendo muito.

Fachada da loja em Pinheiros, a primeira de São Paulo

INFOOD – Como foi a transformação de suas vendas na praia para um negócio formal?

RAPHAEL KRÁS – Chegou um momento em que percebi que precisaria dar um passo mais profissionalizante. Eu teria que me estruturar como empresa para poder crescer. E para isso eu precisava da ajuda de outras pessoas, porque sozinho eu não tinha os conhecimentos necessários. Foi um momento de organização, em que eu estudei, fiz um plano de negócios e encontrei dois sócios que investiram. Foi quando abrimos a primeira loja.

Depois de alguns meses, eu conheci um outro grupo de investidores que queriam investir no Hare e, com isso, a gente montou a cozinha industrial, o escritório, a loja modelo para franquias, e assim fomos crescendo.

INFOOD – Quanto tempo durou esse processo?

RAPHA – Comecei a vender na praia em 2006, e a primeira loja foi aberta em 2011.  Foi um processo longo. Foram anos e anos construindo a marca, fazendo uma clientela, entendendo o produto, criando novos sabores, sendo conhecido no Rio. Tudo para poder entender o mercado.

Rapha, o fundador da rede Hareburger

INFOOD – Quais as dificuldades em se empreender?

RAPHA – Depende de cada um. A minha foi quando percebi que, apesar de ter construído a marca, e ter percebido essa lacuna que havia no mercado de fast food, com um fast food vegetariano, me faltavam qualidades de administrador. Eu era muito novo e não tinha experiência. Foi difícil descentralizar. Mas aí percebi a importância da equipe, dos sócios.

INFOOD – Como é a divisão de trabalho dos sócios?

RAPHA – O Marquinhos trabalha com expansão do negócio, e com a área administrativa. Eu cuido do cardápio, desenvolvimento de produtos, do marketing e da comunicação.

Tem também os sócios investidores, que não atuam diretamente no negócio.

INFOOD – Como é o cardápio? Só tem hambúrguer?

RAPHA – Hoje temos um cardápio muito variado e completo.

MARCOS LEITE – O Hare nasceu como um hamburgueria. De um tempo para cá, deixou de ser apenas uma hamburgueria e virou uma operação de alimentação saudável.  Temos hambúrgueres, pratos e opções de finger foods.

Opções de cardápio do Hareburger

INFOOD – O modelo de hamburgueria é modismo ou veio para ficar?

RAPHA – Não tem como crescer sem parar. Uma hora chega no seu limite. As melhores hamburguerias acabam ficando. O grande diferencial do Hareburguer é ele ser todo vegetariano.

INFOOD – Qual o conceito do Hare?

RAPHA – A ideia foi sempre trabalhar com um cardápio que fosse saboroso, saudável, vegatariano e com uma linguagem divertida. Passando uma mensagem do bem.

Sócios do Hareburger com Mariana, a franqueada de São Paulo

INFOOD – Quantas lojas são franqueadas e quantas são próprias?

RAPHA – Só a do Leblon é própria. Todas as outras são franquias. Além disso, temos dois food trucks que rodam em eventos no Rio.

INFOOD – Acha que o modelo carioca vai funcionar em SP?

MARCOS – Com certeza! Queremos trazer para São Paulo um pouco da vibe carioca, mais descontraída. É uma marca registrada do Rio – a life style carioca. Na loja de São Paulo, tem uma rede no andar de cima. É para as pessoas se sentirem em casa e permanecerem um bom tempo no Hare.

Salão superior da loja, mobiliado com uma rede para descansar

INFOOD – Quais os desafios encontrados na operação da rede?

MARCOS – O fast food vegetariano é algo novo. Temos muito desafios: desafio de suprimentos, desafio de comunicação, desafio de mercado.

INFOOD – Como escolhe seus fornecedores?

MARCOS – Nós produzimos os hambúrgueres e os molhos. Temos uma fábrica no Rio, e uma distribuidora própria. Utilizamos pequenos produtores, para estimular a cadeia de fornecedores veganos. Alguns outros produtos são de fornecedores parceiros que a gente também distribui, e outros são fornecidos diretamente para os nossos franqueados, homologados por nós.

INFOOD – Vocês utilizam produtos orgânicos?

MARCOS – Ainda não trabalho com orgânicos. Algumas coisas são, mas não tudo. O problema são os custos, e a própria cadeia de suprimentos em termos de regularidade. Os orgânicos têm a questão da sazonalidade. Tem produtos também que poderíamos chamar de orgânicos, mas não têm selo de orgânico.

Marcos Leite, sócio do Rapha

INFOOD – Como você vê esse movimento vegetariano?

MARCOS – Uma estatística de 2012  do Ipobe mostra que 8% da população brasileira era vegetariana. Acredito que hoje esse número já seja de 10%. Isso são 20 milhões de pessoas. A grande maioria dos nossos clientes não são vegetarianos. São pessoas que admiram a alimentação vegetariana, que querem comer com menos crueldade, sem impacto no meio ambiente. Essa mesma pesquisa mostra que 28% da população do Brasil deseja reduzir o consumo de carne.

INFOOD – Como está sendo a expansão da rede?

MARCOS – Temos planos também de, mais para frente, levar o Hare para todo o Brasil.Acredito que até meados de 2018 a gente fique apenas no eixo Rio/SP. Precisamos amadurecer nossa logística para ir a distâncias maiores, como Brasília, região sul.

No ano de 2016, atendemos cerca de 250 mil pessoas. Em 2017, a tendência desse número é dobrar.

Os shoppings centers têm nos procurado e demandado muito a nossa operação. Uma praça de alimentação de shopping hoje quase não tem opções vegetarianas. Existe uma grande oportunidade aí. No Rio já temos três operações em shoppings.

salão inferior da loja do Hareburger em Pinheiros

INFOOD – Com que margem trabalha?

MARCOS – O franqueado consegue tirar entre 10 e 15% de lucro líquido. E o retorno do investimento dele leva de 24 e 36 meses, dependendo do ponto e da gestão do franqueado.

 

Hareburger São Paulo
www.hareburger.com
https://www.facebook.com/Hareburger/
https://www.instagram.com/hareburger/
Rua dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 53 – Pinheiros – SP/SP

 

 

Por Redação

Fotos: João Rubens Shinkado

 

Deixe uma resposta

Micro cozinhas e o desafio da administração de pequenos espaços

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados