Marisabel Woodman, peruana de Piura, cidade localizada ao norte do Peru, sempre gostou de cozinhar. Cursou Administração de Empresas por pressão da família, mas depois foi fazer o que realmente gostava: Gastronomia.

Estudou em Paris, na L’École Française de Gastronomie.

Após trabalhar com o chef Alain Ducasse, veio para o Brasil em função do trabalho do marido, que é brasileiro, e passou pelo D.O.M. e Dalva e Dito.

Chef Marisabel Woodman, do La Peruana

Ela sempre quis ter um restaurante. Mas, por ser inexperiente, e não se sentindo pronta para abrir um restaurante, começou fazendo feirinhas e, quando percebeu que seu produto estava dando certo, partiu, em 2014, para o food truck. “A experiência foi ótima, justamente porque o investimento não é tão alto, e você consegue cozinhar e ganhar algum dinheiro.”

Assim que teve a oportunidade e o dinheiro, Marisabel abriu o seu restaurante, sozinha, sem nenhum sócio. O restaurante La Peruana é pequeno – são 50 lugares apertadinhos, e fica no Jardim Paulista. “Por um período, eu tentei manter o truck e o restaurante, mas dava bastante trabalho, e por isso eu tive que optar por um deles, que, obviamente, foi o restaurante.“

Ceviche Clássico Peixe branco marinado no limão, coentro, pimenta, cebola roxa e leche de tigre com pure de batata doce e milho

A chef define a comida do seu restaurante como “uma comida do dia a dia, peruana, com muito capricho no jeito de servir, nos ingredientes, mas é uma comida simples. Não é algo chique. É para ser uma comida típica peruana.”

Filha única, Marisabel, 30 anos, agora tem uma pequena filhinha – Ilana, com 5 meses – para cuidar. “Foi bem puxado. Eu não tive licença maternidade. Fiquei um mês afastada, trabalhando de casa, e depois voltei a trabalhar.”

INFOOD – Como foi receber a notícia de que seu restaurante era um BIB GOURMAND do Guia Michelin deste ano?

MARISABEL – Eu me formei na França, e lá, o Michelin lá é algo super importante. Eu sei o significado do Michelin. Só de aparecer no Guia, eu já teria ficado muito feliz!

Eu me lembro quando eu recebi a visita do crítico.Eu fiquei tão empolgada! Eu não estava esperando ganhar um Bib Gourmand. Foi um honra!

Vista interna do La Peruana

INFOOD – Você sentiu alguma diferença no movimento da casa após a indicação do Guia Michelin?

MARISABEL – Meu restaurante está sempre cheio.  Mas, tem vindo muito mais cliente estrangeiro. E, agora, nesse inverno, que é um período mais de baixa, já que o ceviche, nosso prato principal, é mais para clima quente, estamos conseguindo manter o movimento.

INFOOD – Quais os maiores desafios que você enfrenta no restaurante?

MARISABEL – As leis trabalhistas aqui no Brasil são muito complicadas. E a boa mão de obra também é bem difícil de achar. Eu me preocupo muito com meus funcionários, faço tudo conforme a lei e até um pouco mais. E, mesmo assim, algumas pessoas querem se aproveitar do sistema.

Trio de causas: frango, polvo e siri com camarão

INFOOD – Você prefere estar na cozinha ou na parte administrativa?

MARISBEL – Eu gosto muito mais da cozinha! Eu entro na cozinha e esqueço de tudo! É uma terapia! Eu adoro cozinhar, criar pratos…mas, como eu não tenho sócio, então tenho que tocar tudo. Hoje em dia eu fico muito mais no administrativo, na operação em geral, do que na cozinha. Mas eu gostaria de ficar mais na cozinha…

INFOOD – Quais os seus planos para o futuro? Pensa em expansão do seu negócio?

MARISABEL – Se você me perguntasse ano passado, eu diria que queria abrir ao menos uma ou duas casas em São Paulo, e uma também no Rio de Janeiro. Mas, há cinco meses, nasceu minha filha, Ilana, e agora não me sobra tempo. Então, agora não vou abrir um outro restaurante tão rápido. Estou estudando com calma o que eu vou fazer.

El Balcón, bar de espera ao lado do La Peruana

INFOOD – Tem intenção de voltar para o Peru?

MARISABEL – Eu gosto muito do Brasil. Hoje em dia São Paulo é a minha casa. Mas minha família é de lá, e eu sou muito apegada à família. Por enquanto, não tenho planos de voltar definitivamente, mas quero voltar e estar próxima deles.

INFOOD – O que você mais gosta de comer?

MARISABEL – O que eu gosto mesmo é de variar. Eu como de tudo. Não tem um prato que eu não goste. Eu como de tudo, mas gosto de comer sempre coisas diferentes. Agora, se me falarem: ‘amanhã você vai morrer, o que gostaria de comer?’ Aí eu escolheria um ceviche da minha cidade! O ceviche é feito por cada pessoa de maneira diferente, cada um tem um gosto. Lá no Peru, são outros ingredientes. O limão tem gosto diferente, a pimenta é diferente, o peixe é diferente.

 

La Peruana
Alameda Campinas, 1357 – Jardins – SP/SP
Tel.(11) 3885-0148
http://laperuana.com.br/
https://www.facebook.com/laperuanabr/
https://www.instagram.com/laperuanabr/

 



Por Redação
Fotos: Antonio Rodrigues / Divulgação

 

Deixe uma resposta

Um balanço do Mondial de la Bierè

Publicidade
Publicidade
© 2017 Infood - Todos os direitos reservados