É muito fácil copiar uma ideia. Os negócios que fazem sucesso estão quase sempre baseados em um conceito original. Com produtos cada vez mais parecidos, a nova arena de atuação é a da experiência. Entenda como o Starbucks criou uma diferenciação a partir do seu posicionamento, o conceito do negócio que agrega valor aos seus produtos.

Em dezembro de 2006 a marca Starbucks chegou ao Brasil trazendo um modelo de negócio que era sucesso em 50 países e em mais de 15 mil pontos de venda. A maior rede de cafeterias do mundo veio vender café num país onde as pessoas gostam muito do produto. Seu grandes copos rapidamente foram confrontados com nossas pequenas xícaras. O valor cobrado por bebida parecia um grande problema, num país onde não faltam cafeterias. O maior desafio da nova marca não era a experimentação, o Starbucks já estava no imaginário e desejo do consumidor brasileiro, através do cinema americano. O grande desafio era oferecer um produto diferenciado que caísse no agrado de nosso consumidor.

A missão da rede é oferecer um café excelente, e isto já, por si só, poderia contribuir para diferenciá-la, mas lembre-se que isto qualquer cafeteria pode fazer. Aliás a Coffee Lab da Rua Fradique Coutinho foi escolhida tanto pela Veja São Paulo como pela revista Época como a melhor cafeteria de São Paulo. Se esse fosse o ponto principal, o Starbucks teria que rever alguns processos. Mas a rede cria um conceito de atendimento e de bem estar para seus clientes  que é único. Pode ser imitado, mas já é propriedade da marca americana.

Quando Howard Schultz (presidente e CEO da Starbucks) conheceu os cafés italianos ele teve certeza que fariam sucesso nos Estados Unidos, mas o mais importante é que ele imaginou um ambiente para conversar e se sentir bem, um terceiro lugar entre o seu trabalho e sua casa. Algo difícil de explicar se você não frequenta as lojas da rede, mas que tentaremos identificar em dois pontos.

  1. Você não precisa consumir nada para usar o espaço da Starbucks.
  2. O ambiente é acolhedor para quem precisa fazer uma reunião e para quem quer apenas beber uma bebida quente ou ler seu livro favorito.
starbucks - Infood

starbuck – Infood

Quando você pensar no seu negócio, pense em como ele pode ser diferente para o seu consumidor. Com os produtos cada vez mais parecidos, a experiência é o que fica na hora da decisão de compra.

Contar com um ambiente agradável, onde o seu consumidor se sente bem, pode ser o atrativo principal para despertar o desejo do consumo. Enquanto alguns lugares praticamente convidam o consumidor a se retirar, o Starbucks fica feliz com sua presença. É fácil entender porque os consumidores se sentem bem.

O conceito do melhor café é muito subjetivo, mas se sentir bem é algo que você consegue identificar. Todo o consumidor gosta de ser bem tratado.

Seu trabalho é garantir que seu restaurante, doceria, cafeteria, sorveteria ou qualquer outro tipo de empreendimento garanta uma experiência única, diferenciada.  Para mim, na realidade,é isto que eu costumo chamar de um bom trabalho de marketing.

 

Texto: Reginaldo Andrade

Fotos: divulgação  e Morguefile

 

Reginaldo Andrade escreve toda a sexta-feira sobre marketing e gastronomia, é publicitário com MBA em marketing.

marketing & gastronomia coluna 4

Deixe uma resposta

Todo cozinheiro precisa saber fazer sobremesa ?

Publicidade
Publicidade
© 2017 Infood - Todos os direitos reservados