Já se foi a época em que, quando se falava a palavra delivery, pensava-se apenas em pizzas ou comida chinesa. Atualmente, há a possibilidade de se pedir comida em casa com uma vasta opção de cardápio, sendo que praticamente todo o tipo de comida está disponível para entrega em domicílio. Além disso, a comodidade de se comer bem sem sair de casa, somando-se também a violência e o trânsito das grandes cidades, faz com que, cada vez mais, o mercado de sistema delivery cresça.

Uma outra facilidade que vem fazendo os pedidos de entrega de comida aumentarem são os aplicativos para smartphones e tablets. Com alguns simples toques na tela pode-se pedir e pagar, sem nem ao menos ter que falar ao telefone. E, apesar dos pedidos por telefone ainda serem uma opção, especialmente para aquelas pessoas mais idosas ou tradicionais, que ainda não se adaptaram à tecnologia, o forte das entregas de comida está em plataformas digitais. Os aplicativos costumam cobrar uma comissão média de 12% sobre o valor de cada pedido, sendo que o restante fica com o restaurante. É importante lembrar que a responsabilidade pela operação de entrega é do restaurante.

As duas das maiores empresas que atuam no mercado de pedidos de comida on line no Brasil são a iFood e a Hellofood, donas de um market share estimado em 90%.

No período entre janeiro e outubro de 2015, a Hellofood registrou um incremento de 433% no número de pedidos em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse resultado é reflexo do crescimento do volume de acessos ao e-commerce via smartphones e tablets, que, segundo dados da E-bit, subiu mais de 37% no período.

A iFood teve, ano passado, um faturamento de R$ 50 milhões, número quatro vezes maior que no ano anterior. Para este ano, a expectativa é chegar a R$ 100 milhões.

Para os restaurantes, num ano de economia difícil, o delivery é uma boa opção, desde que realizado de uma forma eficiente. Como eficiente podemos definir que o serviço tem que ter agilidade e bom atendimento. Entregas com atraso, entregadores mal treinados e comida sem um bom aspecto são fatores que acabam desgastando o estabelecimento.

De acordo com a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), o setor de delivery deve movimentar R$ 9 bilhões em 2015, sendo que em 2014 o número foi de R$ 8 bilhões.

 

HELLOFOOD – https://www.hellofood.com.br/
IFOOD  * – https://www.ifood.com.br/
 RESTAURANT WEB * – https://www.restauranteweb.com.br/
PEDIDOS JÁ – http://www.pedidosja.com.br/
SÃO PAULO DELIVERY – http://www.saopaulodelivery.com.br/
DISK COOK – https://www.diskcook.com.br/lista-restaurantes
DEVORANDO (RS) – https://devorando.com.br/
* tiveram suas operações unidas

 

 

Por Redação

 

Uma ideia sobre “O delivery de restaurantes em ascensão”

Deixe uma resposta

Semana 33# Aproveite as oportunidades na cidade para a escolha do ponto do seu restaurante

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados