A gastronomia de São Paulo não para, até porque nunca, na história da alimentação, ela foi estática. As cozinhas, bem como a cidade de São Paulo, se modificam e se adaptam ao que o mundo nos apresenta.

Hoje vou comer o polpettone do Jardim DiNapoli, ou a pizza de calabresa da Cantina Castelões … ou será que como a autêntica pizza napoletana do Leggera?

Quero um bom clássico francês… Não tem erro então ir ao La Casserole. Ou Chef Rouge? Nossa, são tantas opções… Resolvo então comer a torta de cordeiro do inglês Camden House, só para comer o seu bolo de tâmaras no final (ou como o bolo de tâmaras na Chef Vivi?)!

Vou para a opção japonesa… peço um Lámem no Aska. Bom, nessa linha oriental, posso também ir ao Ton Hoi para uma pedida chinesa.

Acho que prefiro comer um kebab no Pão lavosh do Turco kebab Salonu, ou a pide do seu vizinho turco Firin Salonu… Não, deu vontade de comer o falafel da Malka… Ou os clássicos árabes no Tenda do Nilo?

Está complicado… Acho que vou de ceviche no Rinconcito Peruano. Isso! Depois levo umas empanadas do Rincon La Llajta para casa! Ou do La Guapa?

Ai! Acho que vou pegar um Bauru no Ponto Chic e pronto!

Uma amostra do mosaico cultural gastronômico de São Paulo

A cultura e a gastronomia

Difícil, fácil… Essa é a vida de quem mora em São Paulo, um verdadeiro mosaico cultural repleto de restaurantes, com diversos tipos de cozinhas, com seus sabores, texturas, temperaturas para qualquer hora, qualquer idade e qualquer fome!

Uma cidade cosmopolita marcada por seus intensos fluxos migratórios: estrangeiros vindos de diversos lugares do mundo e brasileiros que aqui chegaram de vários estados. Todos eles contribuíram para a formação da mesa paulistana, e da pluralidade cultural existente hoje nas esquinas das ruas dessa cidade, que se consolida como o polo gastronômico do Brasil.

Essa é a nossa São Paulo gastronômica, uma cidade que apresenta, com todas as suas adaptações, uma amostra do que se passa pelo mundo.

A influência dos imigrantes

Com os registros deixados pelos imigrantes, com rápido acesso as informações, às novas tecnologias, com excelentes profissionais – e repleta de escolas e universidades formando cada vez mais profissionais qualificados nesse mercado emergente -, somadas às facilidades para adquirir ingredientes de fora, grandes centros de comércio e as possibilidades de um intenso intercâmbio cultural, o mercado gastronômico paulistano apresenta-se com uma oferta incrível de estabelecimentos étnicos.

Os restaurantes em São Paulo acompanham e refletem o crescimento da gastronomia no Brasil e no mundo.

Escolha o que quer comer… Porque aqui você encontra comida italiana, francesa, portuguesa, espanhola, alemã, peruana, japonesa, chinesa, tailandesa… Essa lista não tem fim.

O fato é que em São Paulo, você encontra a cada dia uma cozinha nova, porém com seus contornos próprios. Algumas mais amplas outras mais restritas. Algumas mais autênticas outras com mais adaptações. São diversos os fatores que determinam, desde a variedade na oferta de produtos, até a adaptação ao paladar do paulistano.

Em São Paulo, provar uma comida, ou um alimento, advindo de outro lugar é mais simples do que decodificar seu idioma de origem.

São Paulo, nosso mosaico cultural gastronômico. Bom apetite!

 

Camila Landi

Camila Landi é coordenadora e Professora de Gastronomia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, consultora gastronômica e membro do conselho editorial do site Infood

 

 

2 ideias sobre “O mosaico cultural da gastronomia de São Paulo”

Deixe uma resposta

Semana 49# Os restaurantes de cozinha vegetal ganham mercado

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados