Acaba de estrear nos cinemas brasileiros o novo filme do ator Bradley Cooper, “Burnt”, que em português foi lançado com o título Pegando Fogo.  O filme destaca a carreira do chef de cozinha e apresenta o universo da gastronomia. Adam Jones (Bradley Cooper) é um chef  que depois de uma carreira de sucesso acaba sofrendo com a fama, se envolvendo com drogas e destruindo sua carreira. A história relata sua luta para voltar ao mercado de trabalho e retomar sua carreira, sendo que sua motivação é a busca pela terceira estrela Michelin.

O filme conta com imagens incríveis e uma ótima atuação dos principais atores, com destaque para Bradley Cooper, mas a produção derrapa num personagem principal desagradável e o uso de clichês exagerados. O filme do diretor John Wells e do roteirista de Steven Knight acaba não conquistando a crítica, em parte por acabar não conseguindo retratar o universo da gastronomia com profundidade.

BRADLEY_COOPER_BURNT

Apesar disto, a INFOOD recomenda o filme, e justificamos nossa recomendação com duas questões importantes voltadas para a carreira na área da gastronomia. A primeira é o cuidado com as imagens, que são um espetáculo à parte, o ponto alto do filme. O universo da gastronomia é retratado com rigor e o talento, revelando para os consumidores um pouco do universo de uma cozinha de um restaurante de alta gastronomia. A produção dos pratos é muito bem acompanhada, revelando todo o refinamento e criatividade da profissão.

Se por um lado a criatividade estética conquista, o universo das relações do chef com sua equipe demonstra um pouco da rotina da profissão nas cozinhas dos principais restaurantes do mundo e do nosso próprio país. O ritmo é frenético, a cobrança é intensa e o que mais se ouve durante todas as imagens onde a produção do restaurante é apresentada é a frase: “sim chef”, repetida por toda a equipe na cozinha. Como já demonstramos em outro textos, é comum que um chef trabalhe entre 12 a 16 horas por dia em seu restaurante, algo muito difícil de explicar para outros profissionais do mercado, ainda mais numa profissão que tem no fim de semana seu principal dia de atuação.

O filme  apresenta um pouco os riscos deste ritmo acelerado de trabalho, seja nas consequências de falta de relacionamentos ou vida pessoal, seja no ritmo frenético do trabalho no dia-a-dia e do stress que são submetidos alguns profissionais. Em todo o momento, a busca do chef é pela perfeição, uma cobrança que acompanha sua carreira e funciona com sua motivação.

Em nossa entrevista com o chef Arnor Porto fica claro um pouco do prazer do profissional da gastronomia, algo que não fica tão claro no filme. Arnor destaca seu prazer, sua motivação: “Sou fã da gastronomia em geral. Sou fanático por fazer a comida – não por comer. Gosto do preparo, da montagem, de colocar na mesa, de ver a satisfação do cliente. “

site – http://parisfilmes.com.br/acervo/244
Trailer legendado

Redação 

8 ideias sobre “Filme “Pegando Fogo” retrata a carreira do chef de cozinha”

  1. Excelente elenco e apesar de não ter conquistado a critica por seus clichês, tem realmente a ver com uma carreira de cozinheiro.

    Somos conhecidos por nossas exigências, por nossas ordens militares, por nossos altos padrões de qualidade e principalmente, por causar uma grande expectativa que será aplacada com a entrega do prato com comida boa, bonita e bem feita.

    Vale a pena assistir, ótimo para os estudantes entenderem a realidade do universo da gastronomia.

  2. agabalo48 disse:

    De acuerdo con Marcelo Santos. Es una película que no se debe perder ningún alumno de Gastronomía.
    Su título en español será “Quemado”, por su doble intención y en portugués podría ser “Queimado”

    Lo de “Pegando fuego” no es buena traducción.

  3. Estoy de acuerdo, sin embargo, es común para traducir títulos de películas en Brasil, por analogía, mi querido Agapito.

  4. agabalo48 disse:

    Supongo que siempre que no cambie el sentido de la palabra, porque “Quemado”, como tu bien sabes, querido Marcelo, tiene dos sentidos. El primero es el sentido de haberse quemado con el fuego, y el segundo es el de haberse quemado moralmente.
    En éste caso, la analogía no hace justicia al título.

  5. Seguramente sí, mi querido Agapito, tienes razón, ni siquiera el título original, a la altura de la película, porque como hay situaciones en la trama que pueden dar la connotación de que el chef sería quemada moralmente y la necesidad de reanudar su carrera, el doble sentido de la palabra quemado dejar espacio para diferentes interpretaciones.

  6. agabalo48 disse:

    El gran don que se nos ha dado: LA PALABRA.
    Nosotros tenemos un refrán (Proverbio) que dice: “Hablando se entiende la gente”, cosa que no hacen nuestros políticos, que nos están llevando a un callejón sin salida.

    Un abrazo, querido Marcelo.

  7. agabalo48 disse:

    En cualquier caso es un placer hablar contigo, aunque sea de cine o política.
    Debo agradecerte, por otro lado que me escribas en Español. Ya me gustaría hablar Brasileño/Portugués la mitad que tu Español.
    Un abrazo.

  8. Decir que aquí en Brasil también tiene un gran valor, le doy las gracias, mi querido Agapito para proporcionar esta conversación. Mucho éxito en el 2016!

Deixe uma resposta

Conheça o Ad Astra Institute, uma escola de gastronomia em Melbourne

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados