As micro e pequenas empresas foram as responsáveis pelo saldo positivo das vagas de emprego, em fevereiro. Elas contrataram, no período, cerca de 54 mil pessoas com carteira assinada, enquanto que as médias e grandes empresas tiveram um saldo negativo de 26,6 mil. A administração pública também apresentou um saldo positivo de 8,3 mil novos servidores.

Os dados são do levantamento feito mensalmente pelo Sebrae, com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Esse é o segundo mês consecutivo de saldo positivo de contratações nos pequenos negócios. Em janeiro, as micro e pequenas empresas tinham aumentado seu quadro de funcionários em 27,3 mil pessoas. No acumulado do ano, já são 81,3 mil novas contratações.

“Em fevereiro foram contratadas quase o dobro de pessoas do que em janeiro. As micro e pequenas empresas estão sendo as responsáveis pela geração de empregos este ano, o que é um bom sinal, mas ainda é muito cedo para se falar em retomada do crescimento. Começamos 2017 com o pé direito”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos.

No mesmo período de 2016, esse segmento tinha apresentado um saldo negativo de geração de empregos de 19,4 mil.

As micro e pequenas empresas do setor de serviços foram as que mais criaram empregos no último mês. Foram assinadas 44 mil carteiras de trabalho. “O ramo da educação foi o grande responsável. Eles criaram 20,7 mil novos postos de trabalho. Quase metade dos empregos gerados pelo setor”, alerta Afif.

Os pequenos negócios da indústria de transformação também registram saldo positivo de geração de empregos, sendo responsáveis pela criação de quase 10 mil vagas. Na indústria, sobressaíram-se as indústrias de calçados e têxteis.

Liderou o ranking de geração de empregos em fevereiro o estado de São Paulo, que gerou 20,2 mil empregos, seguido por Minas Gerais, com 8,2 mil.

Todas as regiões do país apresentaram saldo positivo de empregos, destacando-se a região Sudeste, com criação de 26,2 mil postos de trabalho, seguida pela região Sul, com 14,5 mil. A região Nordeste foi a que registrou o menor saldo de empregos gerados no segundo mês deste ano: 1,3 mil.

Agencia Sebrae de Notícias

Deixe uma resposta

Buzina se prepara para ter ponto fixo

Publicidade

Publicidade
-->
-->

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados