Tive a oportunidade de estar com o Marcos Livi, um dos sócios da Napoli Centrale, uma pizzaria de 40 metros quadrados no Mercado Municipal de Pinheiros, durante evento do SEBRAE/RJ em Volta Redonda, e ouvir detalhes de seus projetos.

O trabalho de Marcos chama a atenção pela pesquisa, pelo cuidado com os conceitos, mas, acima de tudo, na forma como ele transforma estes pontos em fortes diferenciais. Seus bares têm muito a ensinar aos empreendedores que pretendem lançar um negócio em gastronomia.

A pizzaria foi montada num espaço de 40 metros quadrados

A importância de um diferencial

Tenho assistido a expansão do mercado de hamburguerias. É muito comum que alguns empreendedores entrem no mercado apenas motivados pela moda, na busca de fazerem dinheiro com maior velocidade.

Não me entendam mal, eu não vejo problema algum em ganhar dinheiro rapidamente. Mas no mundo em que vivo, isto não acontece facilmente. Os projetos que me impressionam, e que acabo apresentando para vocês aqui na Infood, são ideias com muito conceito e, acima de tudo, com ótimos projetos.

A proposta de comer com as mãos simplifica a operação e reduz custos

Marcos está preparando sua hamburgueria, que também vai funcionará no Mercado Municipal de Pinheiros. Novamente ele está estudando, pesquisando, e deve nos surpreender com um belo conceito.

Mas devo dizer que vejo muita gente boa vendendo discos de carne moída sem o menor cuidado. Pergunto o diferencial da casa, e recebo de volta algo comum e sem graça. Se posso recomendar algo, é que você deve investir forte nos seus diferenciais.

Pizza frita com opções salgada e docê

Você já pensou em vender pizza no almoço?

Para quem me lê esta coluna fora de São Paulo, isto até pode parecer comum, mas o paulistano acostumou-se a comer pizza à noite.  É um conceito muito bem enraizado em nossa mente, baseado na repetição de uma fórmula de venda e, principalmente, pela falta de oferta deste produto em outro horário.

Quando Marcos juntou-se a Gil Guimarães, da pizzaria Baco, de Brasília e criou sua pizzaria no Mercado de Pinheiros, eles queria trabalhar com uma pizza ao estilo napolitano. Gil é um empresário do ramo de pizzaria, mas Marcos não. A Napoli Centrale foi seu primeiro projeto neste segmento.

Ao contrário de muitos empreendedores, mesmo com todo o conhecimento de Gil, Marcos convenceu o sócio a viajarem até Napoles para entender como é a pizza napolitana e como é a comida de rua dequela cidade.

O forno a gás da pizzaria

A importância do conceito

Os dois sócios criaram uma pizza que se come das 10 da manhã até as 8 da noite, quando o mercado fecha. Em boa parte do tempo em que as pizzarias de São Paulo estão faturando, a Napoli Centrale já está fechada.

Estive lá na hora do almoço e pude ver o forte movimento da casa neste horário. Eles estão vendendo muita pizza no almoço. Não bastasse isto, também  estão vendendo pizza para comer com a mão, algo que não muito comum aqui em São Paulo. “Nós começamos o conceito de comer pizza sem talheres em São Paulo, uma pizzaria que fecha as 20 horas, que não fica aberta toda a noite, sem talheres e sem garçom”, explica Marcos

Os críticos e a mídia especializada em gastronomia consideraram a ideia inovadora, mas o mais surpreendente é a resposta do Marcos a esta provocação: “Alguém me perguntou como é que nós abrimos uma pizza no almoço, já ninguém come pizza no almoço. Eu respondi: ‘abri uma pizza no almoço, pois eu nunca fui dono de pizzaria. Toda a padaria vende pizza o dia inteiro. Se a pizza é boa ou não eu não sei, mas está lá naquela vitrine. Será que o português não sabe que pizza não se vende no almoço?”.

Napoli Centrale demonstra a importância de se pensar no conceito da casa

Modelagem de uma ideia

Conheço um bom empreendedor quando vejo a capacidade de observação. Mais do que isto, quando vejo que ele consegue transformar uma ideia em um negócio. Parece simples, mas não é.

Admiro a capacidade do Marco e do Gil de buscarem referências, de irem até a Itália para entender de fato o produto que pretendem vender. Existe muita cultura por trás de uma pizza napolitana, muita história e muito cuidado com o produto.

Se posso dar um conselho antes que você monte o seu negócio, ele é bem simples: não tenha pressa. Minha avó sempre me ensinou que a pressa é inimiga da perfeição. Pode acreditar, na gastronomia é assim também.

Aprenda com que faz bem feito. Se você gostou das imagens da Napoli Centrale, imagine a pizza. Também recomendo que você vá conhecer dois bares do Marcos, o Veríssimo e o Quintana. São duas aulas de conceito e diferenciação, mas isto é assunto para uma nova coluna.

 

Napoli Centrale

Mercado de Pinheiros Box 83/84
Rua Pedro Cristi, 89 – São Paulo

facebook – https://www.facebook.com/Napolicentralepizza/

 

 

Novidades

Factório Restaurante

Marina Consiglio destaca na Folha de São Paulo a retomada da Rua Amauri, tradicional corredor gastronômico, com destaque para o Factório Restaurante.

Inaugurado na última segunda (18/9), ocupa um imóvel de paredes envidraçadas e salão amplo, e tem João Paulo Diniz entre os sócios.

Para ler a matéria completa acesse o site do jornal: http://guia.folha.uol.com.br/restaurantes/2017/09/tradicional-corredor-gastronomico-rua-amauri-ganha-novos-restaurantes.shtml

Notícias

Rede Sodiê cresce  lança loja de Salgados

Letícia Ginak, especial para o Estado de São Paulo, fala do plano de expansão da marca que prevê presença no mercado internacional, começando pelos EUA no final do próximo ano.

Depois de transformar uma loja de 20 m2 no interior de São Paulo em uma das maiores franquias especializadas em bolos do país, Cleusa Maria da Silva quer ir além. No primeiro semestre de 2017, a empresária investiu R$ 4 milhões em uma fábrica de salgados para abastecer todas as lojas da Sodiê Doces no Brasil, em um projeto ousado que tinha com principal objetivo “proporcionar a experiência completa ao cliente”.

Não localizamos esta matéria no site do jornal, você encontra esta notícia completa na edição do dia 27/09.

Produtor rural usa web para chegar a centros urbanos

Paulo Beraldo, especial para o Estado de São Paulo, aponta a adoção da internet para vender sem intermediários e alcançar mais rápido o consumidor, abrindo novas oportunidades para o setor.

Produtores rurais apostam na internet para elevar seus ganhos e entregam diretamente aos consumidores o que vem de suas terras, seja por meio de assinaturas ou de vendas avulsas. Passam, assim, a engrossar os negócios no comércio online e a reforçar as estatísticas do setor, que em 2016 cresceu 11% em relação ao ano anterior, com faturamento de R$ 53 bilhões. Os números são da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Para continuar lendo acesse a matéria completa no site do jornal: http://pme.estadao.com.br/noticias/pme,produtor-rural-usa-web-para-chegar-a-centros-urbanos,70002017838,0.htm

Fermentação natural é tendências em padarias

O Valor Econômico destacou que pães de fermentação natural são apontados como nova tendência de consumo no pela Associação Brasileira da Indústria da Panificação e Confeitaria (Abip). O fermento natural é obtido com a farinha e água, que fica em descanso por quatro a seis dias. Leveduras presentes no ar alimentam-se de mistura, formando o fermento. O fermento químico e o biológico funcionam em menos de duas horas.

Para continuar lendo faça um cadastro no site do jornal:

http://www.valor.com.br/empresas/5131592/fermentacao-natural-e-tendencia-em-padarias

 

 

Reginaldo Andrade

randrade@infood.com.br

A coluna Restaurant Man traz as principais notícias da semana 39  (25/9 a 1/10 de 2017), um resumo do que foi noticiado nos principais jornais e revistas e do que foi apurado por nossa equipe

 

Deixe uma resposta

Um balanço do Mondial de la Bierè

Publicidade
Publicidade
© 2017 Infood - Todos os direitos reservados