A lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina (Latin America’s 50 Best Restaurants), divulgada na última semana, coloca 8 restaurantes brasileiros entre os 50 melhores da América Latina, mas o resultado mais expressivo é o fato da cozinha brasileira contar com 3 das 10 melhores casas pela segunda vez.

O prêmio demonstrou a força do Peru, que vem mantendo o primeiro lugar na América Latina desde que a lista foi lançada, em 2013. Nas duas últimas listas, os peruanos conquistaram a primeira e a segunda colocação entre os 10 melhores, e em 2017, ainda tiveram o Astrid y Gastón na sétima posição.

Três entre os 10 melhores

O Brasil colocou três casas entre os 10 melhores restaurantes: o D.O.M. (3º), A Casa do Porco (8º) e Maní (9º). Em cinco edições da lista, esta foi a segunda vez que três restaurantes brasileiros configuraram entre os 10 melhores. Em 2013, a lista contou com D.O.M., Maní e Roberta Sudbrack.

O país tem mantido de 8 a 9 casas na lista, com alguma alternância em função do fim de algumas casas e de outras que deixaram a lista, como Fasano e Attimo. Mas há potencial para o Brasil ter um grupo maior de casas entre os 50. Neste ano, pela primeira vez desde 2013 o restaurante Remanso do Bosque, de Thiago Castanho, não apareceu na lista.

Era sempre bom ver um restaurante fora do eixo Rio-São Paulo numa relação internacional de melhores restaurantes, algo que ajudava a fortalecer a percepção da boa oferta gastronômica não só em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Felipe Bronze recebe o ‘One to Watch’ que deve levar o ORO para a lista em 2018

Ausência de projeto para divulgação internacional da gastronomia brasileira

Infelizmente, no Brasil, não há um trabalho estruturado de divulgação das casas brasileiras em nível internacional. O mercado turístico brasileiro é pequeno se comparado com o de outros países, mas os governos estaduais ainda não perceberam o potencial de promoção da gastronomia.

Jefferson Rueda abraça Saiko Isawa no anúncio da premiação

A edição deste ano consagrou A Casa do Porco, o restaurante de Jefferson Rueda, que tem 2 anos de vida e estreou na lista em 2016, na 24ª posição. Em 2017, ficou entre os 10 melhores (no 8º lugar), subindo 16 posições. O restaurante vem conquistando consumidores e a opinião dos críticos, e se transformou em referência numa região da cidade fora do roteiro tradicional, oferecendo ainda uma única proteína. De quebra, também viu sua chef confeiteira, Saiko Isawa, ser eleita a melhor da América Latina em sua categoria.

A gastronomia é um grande cartão de visitas. O Peru percebeu isso e, mais recentemente, a Colômbia vem trabalhando no mesmo sentido. O governo desses países entende a gastronomia como um atrativo para a conquista de turistas.

Seria muito interessante promover a premiação do 50 melhores da América Latina no Brasil. Não que isso significasse melhores colocações na lista. Contudo, haveria a chance de o país receber pelo menos 40 chefs da América Latina em nosso país, tendo a chance de conhecer as casas brasileiras. Esse poderia ser um primeiro passo.

Seria possível ter de 10 a 13 casas entre os 50 melhores da América Latina na lista de 2017.

Novidades

“Feito pelas mãos” é lema da nova Deli Garagem na Vila Madalena

Renata Mesquita destacou no jornal O Estado de São Paulo a nova delicatessen na Vila Madalena. Croissants, baguetes, palmeirs, bolos, tortas e terrines dividem espaço na simpática vitrine da nova Deli Garage. Próxima ao hypado Beco do Batman, a recém-inaugurada delicatessen de decoração charmosa e colorida tem apenas algumas mesas na parte de fora para quem quer tomar um café com bolo ou comer algo rápido. Além dos produtos expostos na vitrine, há opções de saladas e sanduíches, como o misto quente no brioche, este feito na casa, assim como todos os outros pães e receitas que também podem ser levados para casa.

Site –  http://www.deligarage.com.br/

Facebook – https://www.facebook.com/DeliGarage/

Rua Medeiros de Albuquerque, 431 – Vila Madalena – SP

Para ler a matéria completa acesse o site do jornal:  http://paladar.estadao.com.br/noticias/comida,com-croissants-baguetes-e-palmiers-deli-garage-e-pedacinho-da-franca-na-vila-madalena,70002060243

Stefan Behar Sucré no Shopping Iguatemi

Lucineia Nunes divulgou no caderno Divirta-se do jornal O Estado de São Paulo a abertura da primeira loja da marca no Shopping Iguatemi de São paulo. A barra dourada da foto ao lado é uma das estrelas na vitrine da chocolateria Stefan Behar Sucré, recém-aberta no térreo do shopping Iguatemi. À base de chocolate ao leite, a barra vem recheada com mais de um quilo de Nutella (R$ 186).

Site –  http://www.stefanbehar.com.br/

Facebook – https://www.facebook.com/stebeharsucre/

Para ler a matéria completa acesse o site do jornal: http://cultura.estadao.com.br/blogs/divirta-se/stefan-behar-sucre-inaugura-loja-com-chocolates-e-doces-no-shopping-iguatemi/

Notícias

Korin planeja dobrar sua produção de ovos

O jornal Folha de São Paulo divulgou que a empresa de alimentos Korin planeja dobrar sua produção de ovos de galinhas criadas fora da gaiola em 2018, para 160 mil unidades diárias.

Em boa medida, a expansão se dará com a produção de uma linha de ovos de aves criadas livremente e sem antibióticos para a marca Taeq, vendida nas redes Extra e Pão de Açúcar.

Para continuar lendo, acesse o site do jornal:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2017/10/1929565-numero-de-feiras-de-negocios-de-2018-sera-14-menor-que-o-de-2017.shtml

Burger King vai vender ações na Bolsa brasileira

Danielle Brant escreveu no jornal Folha de São Paulo sobre o négócio que abre caminho para que atuais investidores possam vender uma fatia da companhia. O Burger King se tornou a mais recente empresa a aproveitar o bom momento no mercado financeiro brasileiro para lançar ações. A BK Brasil, operadora da rede de fast-food no país, protocolou nesta sexta-feira (20) pedido para negociar papéis na B3.

De quebra, abriu caminho para que acionistas possam vender sua participação na empresa, ao lançar uma oferta secundária. No IPO, como é conhecida a oferta pública inicial de ações, o dinheiro vai para a caixa da companhia. Na secundária, os sócios embolsam os recursos.

Para continuar lendo acesse o site do jornal: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2017/10/1928969-rede-de-fast-food-burger-king-vai-vender-acoes-na-bolsa-brasileira.shtml

Reginaldo Andrade

randrade@infood.com.br

A coluna Restaurant Man traz as principais notícias da semana 43  (23/10 a 29/10 de 2017), um resumo do que foi noticiado nos principais jornais e revistas e do que foi apurado por nossa equipe

 

Deixe uma resposta

Restaurantes devem ter um vinho da casa?

Publicidade
Publicidade
© 2017 Infood - Todos os direitos reservados