Inaugurações causam expectativas e despertam curiosidades nos clientes, e quando essas expectativas não são atendidas, elas se tornam frustrações. Atualmente, abrir as portas de um novo restaurante ganhou um conceito inovador com o soft opening (pré-abertura ou abertura leve, em traduções livres).

Da abertura e inauguração à continuidade de serviço e promoções, hoje em dia os restaurantes precisam pensar em boas formas de fazer o cliente entrar, sentar, consumir e ainda ajudar com uma das mais antigas ferramentas de marketing, a propaganda boca a boca. Nada melhor do que uma boa divulgação feita por ninguém menos do que “o senhor cliente”, afinal, é ele quem irá determinar a continuidade de uma casa até seu sucesso.

Estamos deixando de ver com frequência aquelas inaugurações em eventos glamourosos e festas badaladas, a não ser em casos muito especiais. Até mesmo os grandes chefs têm preferido abrir seus novos restaurantes em soft opening, pois assim conseguem uma interação maior com seu público e têm a liberdade de experimentar seus novos pratos sem criar expectativas e muito menos frustrações.

O soft opening é uma forma simples, porém muito eficiente, de colocar um restaurante para funcionar. Resume-se simplesmente em abrir as portas após uma divulgação tímida de que, a partir daquela data, a casa estará aberta e servindo. Um método inteligente, que proporciona ao chef e aos colaboradores experimentar cardápios, receitas inovadoras, promoções de produtos e serviços diferenciados com o comprometimento do público através de pesquisas junto aos clientes durante sua estada na casa.

O sucesso num lançamento pode encher  uma casa de imediato e a falta de prática na operação  pode abalar a imagem e o desenvolvimento do negócio.  O soft opening também serve para ajustar a operação ao real dia a dia da casa, afinal, não serão todos os dias que o restaurante lotará com filas de espera, mas, se isso se tornar uma realidade, esse período ajuda a mostrar o que deve ser feito para tentar diminuir as filas, pois, ninguém gosta de esperar horas para conseguir uma mesa e ser servido.

Na prática, um planejamento estratégico feito em conjunto com uma assessoria de imprensa e consultoria gastronômica pode criar um plano de ação para a abertura e o funcionamento da casa por um determinado período, onde o soft opening será aplicado.

A assessoria fará a parte de divulgação e promoção da casa nas mídias e a pesquisa junto aos clientes, e a consultoria gastronômica fará o gerenciamento de serviços e gastronomia para ajustar a operação do restaurante, adequando produção e serviço a cada momento, aproveitando os dados obtidos nas pesquisas.

As vantagens são enormes, já que minimiza custos ajudando a adequar os serviços e a gastronomia através de treinamentos, erradicando erros e desperdícios e ainda agrada os clientes, fazendo-os perceber que suas sugestões foram ouvidas pela administração e que ele está contribuindo para que o ambiente fique mais acolhedor e de acordo com seu gosto.

Casas abertas com o método soft opening demonstram que seu crescimento foi até 4 vezes maior, e em muito menos tempo do que a previsão normal de planejamento, com faturamentos da ordem de 25 – 30% maiores.

A fidelização de clientela, em alguns casos, é feita em menos de 3 meses a partir da abertura, e a aquisição de novos clientes quase que diária, movida pela propaganda boca a boca e com o auxílio de uma ferramenta interessante, a internet, pois, a assessoria, além de fazer toda a parte de pesquisas e a consultoria gastronômica as adequações, ainda estimula o cliente a fotografar os momentos de sua estada na casa e compartilhar em seus perfis nas redes sociais.

Soft opening é um método muito mais simples de abrir um restaurante e também muito econômico, direcionando a verba do início das operações de forma mais racional, equalizando compras, estoques e produção a cada momento e tornando a administração mais fácil, melhorando as perspectivas de crescimento e recuperação do investimento.

 

texto - Marcelo Santos

*Marcelo Santos (chefmarcelosantos@gmail.com) é chef de cozinha, professor de gastronomia, consultor de alimentos e bebidas e escritor e escreve para o site INFOOD às quartas-feiras

FORNO_FOGAO_CIA_CONSULTORIA_GASTRONOMICA

Deixe uma resposta

Thomas Troisgros: “Há uma grande procura por casas com comida mais despojada”

Publicidade

Publicidade
-->
-->

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados