Em sua busca apaixonada e cuidadosa por uma cozinha em sintonia com os tempos, o Bocuse d’Or 2017, por ocasião dos seus 30 anos, decidiu trazer como estrela os vegetais.
O presidente do Comitê Internacional de Organização do Bocuse d’Or, Régis Marcon, explica o tema da final de 2017: ” A cozinha só pode ser boa quando isso nos traz mais perto da natureza“.
Verdadeiro laboratório de cozinha do mundo, o Bocuse d’ Or pretendeu contribuir para este debate e oferecer aos seus 24 candidatos finalistas este novo exercício.
Um dos pratos este ano teve como tema os vegetais

 Os finalistas do prêmio:

Tema na base da competição

Os candidatos da final 2017 tiveram como tema base, um prato 100% de criação vegetal, feito inteiramente de frutas, legumes, grãos, sementes e legumes. A preparação podia ser quente, frio ou ambos.

Eles deviam escolher os seus ingredientes entre os 146 produtos oferecidas pelo mercado Metro, Fornecedor Oficial da prato de vegetais, a partir de uma lista que consiste em frutas, legumes, grãos, sementes e legumes.

Os candidatos tinham a opção de usar dois produtos adicionais, representativos do seu país que não são oferecidos pelo mercado Metro. Eles podiam representar o seu patrimônio cultural. Para recordar, a especificidade e originalidade do tema geográfico na base representa 20% da nota.

Óleos virgens naturais de frutas prensadas eram permitidos, assim como especiarias e gelificação vegetal. Os candidatos não podiam utilizar na sua preparação: óleos perfumados, manteiga, queijo e outros produtos lácteos.

Os candidatos tiveram um mês para criar sua receita e enviá-lo ao Comitê Internacional da Organização, antes de 30 de dezembro de 2016.

Momento em que o juri começa a avaliar o segundo prato de Giovanna Grossi

Vencedores das edições passadas

Em 30 anos de prêmios, os 15 vencedores, pois o prêmio é disputado de 2 em 2 anos, são todos da Europa. A França lidera o ranking da competição com 7 vencedores, seguida da Noruega com 5 vencedores e depois Dinamarca, Suécia e Luxemburgo cada um com um vencedor.

Até hoje não tivemos nenhum vencedor de fora da Europa, apenas em 2 edições cozinheiros da Ásia ficaram em 3º lugar: em 1989 William Wai de Singapura e em 2013 Noriyuki do Japão.

Até hoje também na competição, nenhuma mulher venceu ou ficou entre os 3 melhores colocados. Este ano, a brasileira Giovanna Grossi  foi uma das duas cozinheiras que chegaram à final da competição, junto com Jessika Toni do Uruguai.

Juri avalia o book da brasileira com a apresentação de seus pratos

Participação Brasileira

Giovanna Grossi teve uma forte preparação com o apoio e orientação de Laurent Suaudeau: “Treinamos 6 vezes por semana, das 7h às 21h, muitas vezes sem pausa nem para um café. E no sétimo dia da semana separamos as receitas para os outros seis”, explica Giovanna.

Fizeram parte da equipe da brasileira o treinador Victor Vasconcellos e o assistente Nicholas Santos.

Para a competição, a brasileira apresentou dois pratos:

Aquarela de legumes do Brasil

O prato criado no tema 100% vegetais é apresentado ao Juri do prêmio
Detalhe do prato de Giovanna: Aquarela de Legumes do Brasil

Mosaico de Frango de Bresse ao molho Homardine

O segundo prato com o uso de proteína apresentado pela candidata brasileira
Detalhe do segundo prato da brasileira com a montagem final chegando a mesa dos jurados

Vencedores de 2017

Ao final da disputa o Juri confirmou:

1º lugar –  Mathew Peters dos Estados Unidos

2º lugar – Christopher William Davidsen da Noroega

3º lugar – Viktor Andrésson da Islândia

 

A brasileira Giovanna Grossi terminou a competição na 15ª colocação.

 

Serviço:
http://www.bocusedor.com/
https://www.facebook.com/BocusedorOfficial/?fref=ts

 

Por Redação

Fotos:  divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Os cuidados antes da abertura do seu restaurante

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2018 Infood - Todos os direitos reservados