No bairro do Sumarezinho, na Rua Heitor Penteado, encontramos um pedaço turco bem representado por sua gastronomia de alto nível na cidade de São Paulo. São eles: Kebab Salonu e seu primo/irmão Firin Salonu. Estabelecimentos que surgem da paixão dos seus donos pelas cozinhas grega, turca e do oriente médio.

Ambos dos mesmos sócios, enquanto eles se dividem na administração (Rodrigo Libbos) e na chefia da cozinha (Frederico Caffarena), o restaurante se destaca com sucesso nesse enorme mosaico cultural que é nossa cidade.

Kebab Salonu, no bairro do Sumarezinho

A maioria dos turcos chegou ao Brasil após os conflitos do oriente médio, como a mãe de Libbos, sócio-proprietário dos irmãos Salonu: “Parte da minha família, do lado de minha mãe, cristãos ortodoxos, vieram para o Brasil fugindo dos conflitos pós-guerra no oriente médio”. Por aqui deixaram marcas notáveis de sua cultura alimentar e de suas habilidades no comércio, as quais são bem representativas na cidade até hoje.

A cozinha turca possui traços da cozinha árabe (sul da Turquia) e da cozinha grega (Istambul). Libbos, conta que aprendeu a cozinhar com sua mãe, tia e avó (seus avós maternos eram da Turquia – avó, e do Líbano – avô). Com sua avó paterna, aprendeu a cozinha portuguesa, sua outra descendência: “Tenho na memória os temperos e especiarias que utilizavam, bem como a forma que faziam kibes, esfihas, os charutinhos, entre outros”.

Salão do Kebab Salonu

Representa muito bem isso no Kebab Salonu, em meio aos seus kebabs no pão lavosh com uma apresentação tão impecável e apetitosa, que se torna praticamente impossível não provar (resta decidir qual recheio escolher… ), de suas saladas, que vão desde as turcas tradicionais às opções tunisianas, seus Shish Kebabs (espetos grelhados) com suas opções de acompanhamentos mais turcos impossível, além de seu imperdível falafel e de seus acompanhamentos tradicionais (hommus – a versão turca, e coalhada). A casa conta, ainda, com festivais esporádicos que divulgam especialidades turcas nessa cidade tão multicultural.

Prato de culinária turca oferecido no Kebab Salonu

Deixo para mencionar sobre as pides em seu primo/irmão Firin… outro espetáculo turco da cidade, que nasce com o intuito de servir os pratos vindos diretamente do forno (por isso seu nome: “firin”).

Do “firin (forno) paulistano”, saem as pides (esfihas turcas de variadas coberturas), entre outras especialidades, além de seu menu executivo na semana.

O diferencial das casas está na seriedade da construção dos empreendimentos, que nascem de uma pesquisa sólida de mercado e de cultura.

Com conceito bem definido, cozinha bem explorada culturalmente, pesquisa de campo no país de origem, produto bem pensado, testado e executado, a busca pela autenticidade com as adaptações necessárias e análise de mercado, a dupla fecha a operação com Caffarena acompanhando todas as etapas da execução dos pratos.

Prato servido no Firin Salonu

Libbos comenta que sua maior dificuldade para a execução de sua cozinha está na busca por ingredientes de qualidade, e a constante preocupação de encontrar, segundo ele “a medida certa para agradar o paladar paulistano, mais acostumado com uma cozinha árabe já sem tanto tempero na atualidade” Libbos afirma que “o detalhe das cozinhas desta região está no equilíbrio de especiarias, na leveza dos pães e na qualidade e frescor dos ingredientes”, diga-se de passagem, no que os irmão Salonu são experts!

O que o conforta? Saber que a cultura sírio-libanesa abre portas para restaurantes de cozinhas similares na cidade.

Por saber que atualmente as pessoas desconhecem as cozinhas étnicas em seus traços mais íntimos, tendo como base conceitos gerais, questiono Libbos se ele considera que seus clientes conhecem a comida turca. Ele é enfático: “Depois de 10 anos com o Kebab Salonu, posso dizer que aos poucos as pessoas estão compreendendo as diferenças”.

Como pesquisadora dessa área, faço minha pergunta clássica: Você considera que os paulistanos conhecem a cozinha que procuram? No seu caso, a turca? Ele finaliza: “Ainda não. O detalhe é que a cozinha do norte da Síria é muito parecida com a do sul da Turquia. E os limites territoriais de cada país não representam os limites e similaridades
em relação às culturas gastronômicas de toda aquela região. Ao longo da história, o oriente médio já teve influência grega, persa, romana, árabe e turca-otomana, além de dietas específicas judaicas, cristãs e muçulmanas”.

Salão do Firin Salonu

Eu diria que, entre outros elogios, o segredo do sucesso de seus empreendimentos está aí: Libbos e Caffarena sabem exatamente o que estão fazendo. Conhecem os segredos mais íntimos dessa cozinha que representam na cidade: a turca.

Conhecem as dificuldades na adaptação e na interpretação de suas produções gastronômicas na gastronomia paulistana, mas a reproduzem com técnica, certeza, com base, e com muito profissionalismo!

Os cardápios não são extensos, o que foi previamente pensado, mas é tão autêntico e apetitoso, que nos obriga a uma missão chata… desvendar gastronomicamente essa Turquia paulistana em várias visitas!
Agora vou comer um kebab! Ou uma pide? Mais uma vez, ficou difícil… Terei que voltar!

 

Serviço:
Kebab Salonu
Rua Heitor Penteado 699 – Loja 6 – SP/SP
http://kebabsalonu.com.br/kebab-salonu/
https://www.facebook.com/kebabsalonu/
https://www.instagram.com/kebabsalonu/
Firin Salonu
Rua Heiror Penteado, 147 – SP/SP
https://www.facebook.com/FIRINSALONU/
https://www.instagram.com/firinsalonu/

 

Camila Landi

Fotos: João Rubens Shinkado

Camila Landi é coordenadora e Professora de Gastronomia na Universidade Presbiteriana Mackenzie, consultora gastronômica e membro do conselho editorial do site Infood

Deixe uma resposta

O aumento da oferta de cervejas no Brasil

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados