Precoce. Outra palavra não definiria melhor Victor Dimitrow. Seu interesse por cozinha começou aos 11 anos de idade, e desde pequeno queria ser cozinheiro.

Aos 18 anos começou a exercer a profissão e aos 26 abriu seu primeiro negócio, o Peti Gastronomia, restaurante que fica na Pompeia, e que já tem mais duas filiais, dentro das unidades da Escola Panamericana da Angélica e da Groenlândia, esta última abrindo no dia 01 de agosto.

Além disso, esse ano, o Peti Gastronomia figurou como um Bib Gourmand do Michelin, pela excelente relação entre a qualidade e o preço da casa.

Sempre teve o apoio total da família na sua escolha profissional. Assim que terminou o colegial foi cursar Gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi, mas logo abandonou o curso e foi para fora do país. Segundo Victor, “a faculdade dá uma base, mas o aprendizado mesmo veio na prática.”

Salão interno do Peti Panamericana que fica na cobertura do prédio na avenida Angélica

Após pegar experiência na Europa, em restaurantes na França e na Irlanda, voltou para o Brasil já com a intenção de abrir o seu próprio restaurante. Aproveitando a loja de pintura de seus pais, transformou o pequeno café que havia nos fundos, e ali montou o Peti Gastronomia, em 2015.

Na Pompéia, o cardápio da casa é mudado constantemente, justamente para aproveitar os produtos da época. Nas duas filiais, é mais fixo. Mas todas as casas mantém um preço bastante justo. Para se ter uma ideia, no Peti Panamericana, um balcão de salada mais um prato saem por R$ 39, e com uma sobremesa, R$54.

Frango orgânico, arroz caldoso, quiabo crocante e picles de semente de quiabo

Na gastronomia, sua referência é Roberta Sudbrack, tanto que ainda pequeno leu alguns de seus livros.

Quanto às dificuldades de se empreender no país, o chef afirma que o que atrapalha são os impostos, que têm um peso muito grande nos custos do restaurante.

Mousse de manga, bombocado e tuile de coco

A parceria com a Escola Panamericana de Arte foi muito acertada. Victor está bem animado com as recentes aberturas das duas filiais. Apesar das casas não terem muita visibilidade para quem passa na rua, ele entende que, querendo ou não, o movimento dos próprios alunos já é bem interessante.

As tarefas do dia a dia do restaurante são divididas com a Bárbara, que é sua sócia e companheira de vida há 8 anos.

Como trabalhar em restaurante exige uma dedicação muito intensa, Victor, para conseguir ter algum tempo de descanso, optou por não abrir o Peti aos domingos. “É o único dia em que nada funciona, e eu me obrigo a ter um tempo sem trabalhar. Se fosse qualquer outro dia, mesmo com o restaurante não funcionando, eu iria tratar com fornecedores e não descansaria.”

Equipe do Peti Panamericana da avenida Angélica

Peti Gastronomia

Rua Cotoxó, 110 – Pompeia – São Paulo / SP – (11) 3873-0099

Peti Panamericana

Avenida Angélica, 1900 – Higienópolis – São Paulo / SP
Rua Groenlândia, 77 – Jardim Paulista – São Paulo / SP
https://www.petirestaurante.com.br/
https://www.facebook.com/restaurantepeti
https://www.instagram.com/victordimitrow/

 

 

Por Redação

Fotos: João Rubens Shinkado

 

 

Deixe uma resposta

Micro cozinhas e o desafio da administração de pequenos espaços

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2017 Infood - Todos os direitos reservados