Tenho certeza que sua resposta à indagação é positiva, mas essa é uma provocação, pois é exatamente quando temos a casa cheia que temos o maior teste de nossa operação. É quando percebemos se o serviço está bem dimensionado e a equipe corretamente treinada.

Um restaurante lotado pode significar uma longa espera, e o pior: o descontentamento dos clientes. Imagine aqueles que, ao contrário da maioria, estão ali pela primeira vez. Sua impressão da casa ao final do serviço pode não ser boa.

Um bom gerenciamento do tempo de recebimento do pedido e da sua entrega pode nos ajudar a identificar consumidores chateados. Uma boa medida é oferecer cortesias para essas mesas que sofreram com a demora. Pode ser um desconto, ou mesmo uma sobremesa grátis. O importante é que o brinde não signifique mais demora. Se isso não for possível, a ida do maitre ou do garçom que fez o pedido para orientar a mesa e se desculpar se faz necessário. Pior que a demora, apenas a percepção de que ninguém está percebendo a falha no serviço.

cupom da promoçãoAlmoçando num prédio comercial, deparei-me com uma interessante promoção. Na entrada do restaurante, uma funcionária entregava um cupom, na verdade um lembrete, que oferecia um desconto de 20% para os consumidores que optassem por consumir em duas faixas horárias: a primeira de 11:30 a 12:15 e a segunda de 13h30 a 15h00. O gerente do estabelecimento está premiando os consumidores que optam por comer fora do horário de pico, que é das 12:16 até as 13:29, uma forma inteligente de distribuir o serviço, reduzindo filas e garantindo um atendimento mais eficiente.

O restaurante funciona no sistema de preço por quilo, portanto, a operação fica facilitada, uma vez que só recebe cupom quem chegou nos horários com desconto. Por muitas vezes ouvi pessoas comentando que isso poderia ser um bom incentivo para quem tem flexibilidade no horário das refeições.

 

Algumas dicas para deixar o restaurante lotado e para pensar numa promoção:

  1. Busque um fornecedor para patrocinar a ação: ofereça uma sobremesa ou um vinho que podem ser negociados com ele em troca da divulgação de seu produto no material promocional.
  2. Planeje antes: faça uma boa análise do movimento e defina uma meta de atendimento. Se você não tem experiência nesse tipo de operação, defina uma meta de 10 a 15% de crescimento.
  3. Não se esqueça dos custos: descontos, folhetos e cupons são despesas que devem ser bancadas pela promoção, caso contrário você pode não ter lucro ao final da ação.
  4. Defina um período claro de promoção: lembre-se que o consumidor pode demorar para perceber a vantagem da promoção. A repetição da mensagem é fundamental. Eu recomendaria sempre trabalhar com algo entre 3 semanas e um mês.
  5. Pause a promoção: isso ajuda a valorizar um novo período promocional. Lembre-se que quando algo é oferecido a todo o momento, ele deixa de ser uma vantagem. As pausas também permitem avaliar se houve algum aumento no consumo no dia promocionado ao final da promoção.
  6. Treine seu pessoal: eles são fundamentais na comunicação e no convite para os clientes voltarem e aproveitarem a promoção. No final das contas, o aumento do consumo também se reflete no aumento das gorjetas.
  7. Cuidado na produção dos materiais: eles devem manter a imagem da sua casa, mas servem para impedir o descontentamento. Seja claro nas regras e no período de uso em cada material, para que o consumidor não possa usar a peça contra você.
  8. Avalie a ação: ao final do período, faças as contas e veja se o resultado gerado está dentro do objetivo planejado. Não desanime com os resultados ruins. Você precisa decobrir o que motiva seus consumidores.
 
Reginaldo Andrade escreve toda a sexta-feira sobre marketing e gastronomia, é publicitário com MBA em marketing.
 
 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2019 Infood - Todos os direitos reservados