Reunir a família no Natal e no Ano Novo é muito tradicional e comum. Mas nem sempre há pessoas nas famílias dispostas a passar horas, às vezes dias, na cozinha. Preparar aquelas delícias de receitas que fazem a alegria de muita gente dá trabalho. Uma saída para quem está nessa situação é reservar mesas em restaurantes que preparam essas receitas com equipes profissionais. O cliente só tem o trabalho de se sentar à mesa e aproveitar cada momento, além de pagar, é claro.

São Paulo tem uma infinidade de restaurantes, churrascarias e hotéis que divulgam esse serviço. E melhoram seu faturamento em até 40%, só nessa época do ano. E se você também tem um negócio gastronômico e está pensando em entrar nessa e pegar sua “fatia” nesse mercado, é bom correr. Agora é a hora de colocar os seus melhores planos em prática.

Quem não se lembra das épocas em que se levava o peru da ceia de Natal ou o leitão da ceia de Fim de Ano para assar no forno da padaria? Tenha boas ideias, boas receitas, planejamento feito e consciência de sua capacidade de atendimento. Há como você escolher quais públicos vai atender, e de que maneira.

Algumas dicas para você não errar a mão na hora de fazer seus preços:

  • Tendo certeza da sua capacidade de atendimento, procure saber de seu fornecedor e negociar com ele preços, prazos de pagamento e entrega dos insumos, para não deixar seus clientes na mão;
  • Não queira ser “fominha” e ganhar todo o dinheiro do mundo de uma vez só. Lembre-se: você terá concorrência pesada, então, preço justo e comida boa é a fórmula secreta do negócio;
  • Vá aos supermercados e faça orçamentos – em três, ao menos -, veja quanto custaria fazer o seu cardápio em casa. Se seu preço final não ultrapassar uma margem superior a 30% a mais dos valores médios dos orçamentos que fez, suas chances de ganhar seus clientes também pelo bolso aumentam;
  • Lembre-se de colocar aqueles custos de fim de ano, caso você tenha  funcionários em hora extra para ajudar na produção ou então, contratar os “extras” de fim de ano na conta. Isso vai ajudar você a saber o quanto de lucro líquido irá sobrar e ver até que margem você pode operar;
  • Ofereça formas divididas de pagamento através dos cartões de débito e crédito. Isso ajuda você a faturar mais, e aos clientes a gastar mais, e lembre-se de dar desconto em casos de pagamentos à vista. Para isso, na conta que vai fazer para se chegar ao preço final, deixe uma margem para esse fim.
Texto:  Marcelo Santos
*Marcelo Santos atuou como chef de cozinha, professor de gastronomia, consultor de alimentos e bebidas e escritor 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O turismo gastronômico como meio de desenvolvimento local

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2018 Infood - Todos os direitos reservados