Johana Pereira, chilena, é enóloga há 21 anos. Formada em Agronomia na Universidade de Concepción, no Chile, com especialização em Fisiologia da Videira na Universidade do Chile, trabalha desde 2013 na Vinícola Estampa.

Desde 2009 sem representação no Brasil, os rótulos da vinícola chilena Estampa, no Valle de Colchagua, estarão de volta às cartas dos restaurantes e aos melhores empórios a partir de abril. A importadora Hannover comercializará nove vinhos da casa especializada em blends, incluindo o Estampa Gold Carménère.

A INFOOD conversou com enóloga Johana, expert em terroir do Vale do Colchagua, que assina os vinhos da Estampa. Ela é casada com Mario Geisse, o agrônomo chileno que é o criador de um dos mais premiados espumantes brasileiros: o Cave Geisse. Confira a entrevista.

Enóloga Johana Pereira

INFOOD – Como se interessou pela carreira de enóloga?

JOHANA – Desde pequena o vinho me chama a atenção. Inicialmente, a cor dos vinhos tintos e o brilho dos brancos atiçavam minha curiosidade e eu queria saber como isso se dava. Depois, já mais velha, me chamavam a atenção os aromas e a estabilidade de um produto que se mantinha e melhorava lentamente com o tempo. Isso tudo, somado ao meu amor por uma vida ao ar livre, acabou determinando meu ingresso na faculdade de Agronomia e minha especialização em enologia.

INFOOD – Quais foram seus maiores desafios quando começou?

JOHANA – Primeiro, meu desafio foi encontrar uma oportunidade de demonstrar que minha entrada no mundo da enologia era real e que eu estava disposta a fazer de tudo para conseguir isso. Assim, quando tive a oportunidade de trabalhar na primeira colheita, não relutei em fazer tudo o que me era pedido e muito mais. Trabalhar incondicionalmente, com alegria e humildade, foi me abrindo as portas.

cultivo da uva

INFOOD – O fato de ser mulher, de alguma forma, atrapalha? Já sentiu algum preconceito?

JOHANA – Estudei gastronomia, uma profissão onde a proporção de mulheres é sempre menor. Mas aprendi a me relacionar com os meus colegas de igual para igual. No geral, não sinto que o fato de ser mulher tenha sido um problema. Quando se trata de âmbito claramente profissional, não há problema. A única complicação inicial, basicamente, foi um assunto prático. Nas adegas, alguns trabalhos são pesados. Mas o trabalho em equipe acaba sendo a solução, como um todo.

INFOOD – Na carreira de enóloga, quais as principais dificuldades que enfrenta?

JOHANA – Não há uma dificuldade em particular nessa carreira. Creio que a única dificuldade poderia ser a falta de comunicação entre a área vitícola e a enológica. Felizmente, tenho tido a oportunidade de trabalhar em empresas familiares de tamanho média a pequeno, que deixam bem claro esse ponto. Além disso, temos conseguido fazer uma equipe com a área agrícola também.

INFOOD – Qual o segredo para se produzir um bom vinho?

JOHANA – Para mim não há segredos. O básico é ter uma boa qualidade de uva. Partindo daí, definir claramente o que queremos dessa uva, que vem de um lugar particular, com condições específicas de solo, clima e manejo. Então, entendemos o que podemos fazer para alcançar o que definimos, aplicando nossa técnica. Para produzir um bom vinho é importante entender e interpretar a matéria prima, integrar tudo isso aplicando nossa técnica e experiência para direcionar o resultado para o que queremos alcançar em cada vinho.

sede da Estampa

INFOOD – Como se faz para harmonizar um vinho?

JOHANA – Para mim, é importante que vinho e comida sejam um complemento. Embora possamos nos basear nos princípios básicos, não há receita. Minha especialidade não é o serviço de vinhos, mas considero, em geral, que os vinhos mais estruturados vão melhor com alimentos mais condimentados e/ou carnes mais gordurosas ou peixes. Já vinhos mais leves, com queijos, massas ou carnes de caça.

INFOOD – Quais são seus sonhos e desejos dentro da carreira?

JOHANA – Meu sonho é continuar explorando e aprendendo. Eu tento consolidar os vinhos que crio com um estilo que consegue interpretar a variedade, região, clima, gestão … o Terroir. Sinto-me satisfeita toda vez que um vinho consegue transmitir essa particularidade e se destaca. Minha aspiração pessoal na carreira é aproveitar minha profissão, estar aberta para sempre aprender … e não perder a capacidade de me surpreender.

plantação de uva

INFOOD – Qual sua análise sobre o mercado de vinhos no Brasil? E no mundo?

JOHANA – Pelo o que conheço do mercado brasileiro de vinhos, ele é caracterizado por consumidores muito interessados em aprender e explorar. Eu acho que o desenvolvimento do mercado do vinho ligado à gastronomia é muito interessante.

Sinto atualmente que no mundo há uma curiosidade para descobrir novas regiões e diferentes vinhos. Já não é apenas o mercado tradicional de vinhos clássicos. Temos o grande desafio de satisfazer a curiosidade dos consumidores e mostrar novas regiões, recuperando variedades recentemente deixadas para trás.

vinho da Estampa

INFOOD – De que forma o clima de um local irá contribuir para a qualidade do vinho?

JOHANA – O clima marca de maneira importante as características de um vinho. Cabe a nós contribuir ou subtrair. A variedade deve se adaptar ao clima e ao solo; é uma combinação chave na expressão da qualidade … faz parte do conceito do Terroir.

Vinícola Estampa

www.estampa.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2019 Infood - Todos os direitos reservados