O lançamento da edição brasileira do Guia Michelin 2018,  quarta edição nacional do principal guia gastronômico do mundo, amplia debates sobre os critérios das classificações e da relevância da publicação. Mas é certo que, a partir da noite de 7 de maio de 2018, teremos uma nova seleção dos melhores restaurantes das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Como toda a seleção de melhores, a lista do Guia Michelin, gera debates acalorados por conta de ausências e até mesmo por algumas presenças. Aprendi, com três edições, a respeitar o processo de avaliação, mas ele não é perfeito.

Questionar a importância do guia é desprezar o movimento dos últimos três anos. Com a avaliação rotineira, houve a potencialização do trabalho de muitos cozinheiros. A publicação coloca em evidência um conjunto das melhores casas, permitindo que turistas nestas duas cidades tenham acesso à uma seleção das melhores opções.

Quando comparamos com as listas dos 50 melhores do mundo e dos 50 melhores da América Latina, vemos diferenças, mas, na média, as concordâncias de resultados dão a sensação que temos no Guia Michelin São Paulo e Rio de Janeiro, uma boa amostra de nossas melhores casas.


Confira a cobertura completa da Infood da cerimônia de lançamento acessando o link: https://infood.com.br/guia-michelin-2018-oro-tuju-conquistam-2-estrelas-e-se-juntam-ao-d-o-m/


Novidades na lista

Três edições já demonstraram que não se deve esperar grandes mudanças. Já deu para perceber que existe um caminho para que um restaurante entre na lista, e ele não é rápido. Existe um tempo mínimo para as avaliações.

De concreto, já temos a certeza que, com o fechamento do restaurante Eleven no Rio de Janeiro, perderemos um restaurante estrelado no guia deste ano. Acredito que podemos ter mais novas estreias, e algumas saídas. A movimentação confirma uma máxima sobre o guia: manter uma estrela é muito mais difícil do que conquistá-la.

A evolução dos modelos de restaurante no mundo tem levado à criação de casas mais despojadas. Percebemos este movimento muito forte no Brasil. Por isso entendo que será na lista dos Bib Gourmand, onde teremos a maior expansão, como aconteceu em 2017.

Não posso deixar de fazer alguns palpites. Em parte minha torcida por casas que gosto e que entendo que já poderiam estar na seleção deste ano.

Apostas para São Paulo

Não acredito que teremos grandes surpresas com novos estrelados. Acredito que a lista em São Paulo deve ser mantida com talvez uma nova surpresa. Minha aposta é por mais novidades na seleção de Bib Gourmand.

Creio que podem fazer parte do guia as boas novidades da cidade: LiluKomahBalaioPiccolo e o Evvai.  Entendo que o Nino Cucina já deveria estar na seleção de Bib Gourmand.

Apostas para o Rio de Janeiro

No Rio, eu acredito que temos mais chances de novos estrelados, e não faço uma grande aposta em um grande número de novas casas Bib Gourmand.

Entendo que podemos ver no guia o Fasano Al Mare, o Naga e o Shiso, que têm conquistando destaque em outras seleções.  Gostaria de ver o Pipo e o Fazenda Culinária no guia, mas talvez pelo seu pouco tempo de operação das duas casas, eles  ainda não venham fazer parte da 4ª edição.

Uma vitrine para o mundo

Quando olhamos para uma iniciativa como a do Guia Michelin, devemos sempre lembrar que esta publicação ajuda na divulgação das nossas casas no mundo. Portanto, entender a premiação como algo ruim é não compreender como o mercado de restauração mundial se desenvolveu.

É sempre bom lembrar que a nossa edição é a única da América do Sul e, como tal, permite que turistas visitem nosso país e possam ter acesso a uma avaliação e boas indicações de nossa gastronomia.

O exemplo da gastronomia peruana

Basta olhar o exemplo do Peru, que não tem uma edição do Guia Michelin avaliando uma de suas cidades. Os restaurantes peruanos ganharam destaque na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo. Hoje, aquele país tem 2 restaurantes, o Central e Maido entre os dez melhores do mundo na seleção da revista Restaurant.

Para se ter uma ideia do impulso da gastronomia peruana, o restaurante Astrid & Gastón,  que é o 33º da lista do 50 melhores do mundo, faz parte de um grupo de 50 restaurantes pelo mundo do Grupo Acurio, comandado pelo chef Gastón Acurio.

Hoje a gastronomia peruana é uma referência de consumo em diversos países, fruto de um grande investimento na promoção do trabalho dos chefs peruanos nos últimos anos.

Ampliar nossa identidade

A gastronomia brasileira encanta pela nossa diversidade de ingredientes e pela criatividade de nossos profissisonais. Mas entendo que não temos um trabalho consistente de promoção do nosso trabalho, que permita definir nossa identidade para o mundo.

Devemos muito ao chef Alex Atala que, desenvolvendo seu trabalho, nos deu uma maior visibilidade no mundo. Entendo que precisamos de novos protagonistas. Creio que Rodrigo Oliviera, Jefferson Rueda, Felipe Bronze e Helena Rizzo são alguns nomes que podem ganhar mais destaque no cenário mundial e ampliar a presença de nossos produtos e de nossas marcas.

Sinto que é necessário um trabalho para difundir mais nossa gastronomia pelo mundo, mas sabemos que não temos maturidade no poder público para isto. Assim como a festa de lançamento da 4ª edição do Guia Michelin é uma grande promoção da nossa gastronomia, precisamos de mais eventos da gastronomia mundial em nosso país.

Minha torcida é por uma pequena evolução que nos permita superar as 20 estrelas de 2017, e um grande crescimento na seleção de casas Bib Gourmand, pois entendo que o Guia Michelin 2018 São Paulo e Rio de Janeiro é uma boa provocação para nossos profissionais.

 

Novidades

Guarita Burger

A revista Veja São Paulo destacou a abertura do Guarita Burger, por Gregor Caisley e o bartender Jean Ponce, com inauguração prometida para dia 27/4 passado. A casa tem atendimento no caixa e o sanduiche com 110 gramas de carne e queijo cheddar no pão com brioche custa R$ 15.

Rua Antônio Carlos, 395 – Consolação – São Paulo

Instagram – https://www.instagram.com/guarita.burger/

 

Para ler a matéria completa acesse: https://vejasp.abril.com.br/comida-bebida/guarita-burger/

Pipo

O jornal O Globo destacou a ida do restaurante Pipo do Rio de Janeiro para São Paulo. Segundo apurou o jornal, o chef Felipe Bronze está se despedindo do Rio no dia 30 de maio. Vai aterrizar no MIS, no jardim Europa, em São Paulo. No Rio chef investirá no Pipo como “restaurante digital”.

All In. Burger

A revista Veja São Paulo destacou a recém inaugurada All In. Burger no Itaim Bibi. É comandada por Marcos Britto, um dos sócios.

Rua João Cachoeira, 289  – Itaim Bibi – São Paulo

facebook – https://www.facebook.com/allinburgerbr/

Para ler a matéria completa acesse o site da revista:

https://vejasp.abril.com.br/estabelecimento/all-in-burger-itaim/

Notícias

Entrevista de Wilson Mello Neto: “O que nós produzimos é alimento, não é algo nocivo a socidade”.

O jornal Folha de São Paulo entrevistou Wilson Mello Neto, presidente da associação da indústria alimentícia, que diz que a obesidade é desafio. Em um ano de eleição e Copa, ele vê o setor em recuperação.

A indústria de alimentos reconhece que a obesidade vem se tornando um problema no Brasil, mas não quer ser a vilã dessa história. A informação é de Wilson Mello Neto, novo presidente do conselho da Abia, associação que reúne empresas do setor.

Para ler a matéria completa acesse o site do jornal:

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/05/obesidade-e-desafio-diz-novo-presidente-da-abia.shtml

Reginaldo Andrade

randrade@infood.com.br

A coluna Restaurant Man traz as principais notícias da semana 18  (30/04 a 06/05 de 2018), um resumo do que foi noticiado nos principais jornais e revistas e do que foi apurado por nossa equipe.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como uma brigada de cozinha organizada pode trazer lucros e economia

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2018 Infood - Todos os direitos reservados