Esta semana, a Bráz Elettrica, nova casa do Cia. Tradicional de Comércio, foi inaugurado na Rua dos Pinheiros, no número 220. Esta é uma das regiões que teve um dos maiores crescimento nos negócios gastronômicos na cidade de São Paulo, principalmente após a inauguração da estação do metrô.

A região concentra um grande número de casas, e ali estão as segundas casas de dois importantes restaurantes da cidade: o Le Jazz Petit e o Piccolo Restaurante. E este movimento estende-se nas ruas transversais, como no caso da rua Fradique Coutinho, onde temos o Tan Tan Noodle Bar de Thiago Bañares.

E foi nesta região que a Cia. Tradicional do Comércio lançou seu novo conceito de pizzaria. O grupo, que além da pizzaria Bráz, comanda a Lanchonete da Cidade, o ICI Brasserie e os bares Pirajá, Original e Astor, coloca seu pé no fast casual, ou, como definiu Benny Novak para Infood. é uma casual pizza.

Benny Novak nos falou sobre o projeto do Bráz Ellectrica

 

INFOOD – Quando vocês começaram a operação da Bráz Elettrica?

BENNY NOVAK – A loja está aberta desde segunda-feira (26/7/17). É um projeto que contou com a consultoria do americano Anthony Falco, que era pizzaiolo do Roberta’s de Nova York até o ano passado. O grupo o trouxe para dar a consultoria.

INFOOD – Que experiência o Anthony agregou para vocês?

BENNY – Além de toda a consultoria, ele trouxe a sua experiência na fermentação de 48 horas da massa.

INFOOD – Como é a pizza da Bráz Elettrica?

BENNY – Os topping (coberturas) são bem diferentes do que o costumamos servir na Bráz. Na verdade, esta é uma nova experiência, uma experiência diferente. Estamos fazendo uma pizza neo-napolitana, no estilo americano. Um disco de 25 centímetros de diâmetro, numa pizza individual. Um produto bem leve, com uma diferença também na quantidade de toppings na pizza, que é menor do que aquilo que vemos na pizza tradicional paulistana.

INFOOD – Como é o novo formato de atendimento?

BENNY – Estamos numa região super movimentada, com uma experiência fantástica. Um lugar onde o consumidor vai comer a pizza com as mãos, na calçada. Tudo muito rápido, no modelo casual pizza. O consumidor entra, paga, pega sua pizza e bebida rapidamente.

INFOOD – E como ficam os preços?

BENNY- A nova casa tem um tíquete médio muito bom. A pizza individual de 25 centrimetros vai de 23 reais a 29 reais. São nove tipos de pizza. O consumidor consegue fazer uma refeição por 35 reais.

INFOOD – Vamos ver novas Bráz Ellectrica pela cidade?

BENNY – Ainda é cedo para dizer isto.  Não sabemos se esta marca será replicada. Primeiro, vamos avaliar a resposta deste primeiro ponto. Mas o grupo sempre tem este pensamento.

Notícias em destaque na semana

Filial do Le Manjue Organique no Jardim Paulista

A revista Veja do dia 28/6 destacou o projeto da filial do restaurante Le Manjue Organique. O chef Renato Caleffi se prepara para abrir a nova casa junto com os sócios: Bruno Gagliasso, Rodrigo Rivelino, Bruno Fattori e Rafael Miranda.

A nova casa ficará na Rua Vitório Fasano, no Jardim Paulista.

Você pode ler a matéria na íntegra no site da revista:

www.vejasp.abril.com.br/blog/terraco-paulistano/bruno-gagliasso-novo-restaurante-jardim-paulista/

Fast Casual apela à tentação da carne

No dia 26/6, o jornal O Estado de São Paulo, em matéria de Alessandro Lucchetti, mostrou que hamburguerias mais simples e mais baratas do que as grandes redes do setor investem em sabor para se destacarem no mercado.

Você pode ler a matéria na íntegra no site do jornal –  http://pme.estadao.com.br/noticias/pme,fast-casual-apela-a-tentacao-da-carne,70001867464,0.htm

A maioria dos restaurantes chega ao fim do mês no vermelho

Luciana Fróes entrevistou Luiz Antônio Cunha, empresário carioca há mais de 40 anos no ramo de restaurantes para o jornal O Globo, no dia 24/6. Ele é o principal nome por trás de 14 estabelecimentos no Rio de Janeiro, entre eles: Bar Astor no Arpoador, a pizzaria Bráz, no Jardim Botânico e a rede Gula Gula.

Na entrevista, o empresário fala dos preços dos restaurantes: “O público reclama dos preços, mas desconhece o volume de despesas e encargos que temos que arcar. O custo Brasil não é uma invenção.  O Claude Troisgros disse, certa vez, que trabalha, trabalha e trabalha. E acaba com minguados 2% de faturamento. Na ponto do lápis, é exatamente isso. O que faturamos é sugado por inúmeros impostos, taxas, custos operacionais altíssimos, mão de obra, insumos. Atualmente, quando chegamos aos 2%, já é para festejar.”

Você pode ler a matéria na intregra no site do jornal – https://oglobo.globo.com/rio/a-maioria-dos-restaurantes-chega-ao-fim-do-mes-no-vermelho-diz-tesoureiro-do-sindrio-21514806

Histórico revela setor dinâmico e queda de interesse por casas árabes e italianas

A Folha de São Paulo, em material de Mauro Paulino e Alessandro Janoni, ambos do Data Folha, apresentou a análise das pesquisas realizadas desde 2012 para monitoramento sobre os melhores bares e restaurantes de São Paulo.

O histórico do levantamento revela um segmento dinâmico, com alto grau de pulverização das menções, surgimento de novos nomes ao longo do tempo e variação nas taxas de frequência com que os paulistanos mantêm o hábito de ir a esses estabelecimentos.

Vale a pena olhar o levantamento, que mostra um perfil adulto do consumidor de restaurantes na cidade: 50% está acima de 41 anos e, quando consideramos acima de 26 anos, o total chega em 83%.

Você pode ler a matéria na íntegra no site do jornal – http://www1.folha.uol.com.br/o-melhor-de-sao-paulo/2017/restaurantes-bares-e-cozinha/2017/06/1895334-pesquisa-revela-setor-dinamico-e-queda-de-interesse-por-casas-arabes-e-italianas.shtml

Boa leitura

As revistas que encontramos nas bancas com boas matérias, que você não deve perder.

Matéria de capa da revista Menu  fala do compartilhar

Compartilhe. Pratos mais fartos e porções para dividir à mesa estão invadindo os cardápios dos restaurantes paulistanos. Fique por dentro dessa nova tendência com receitas de dar água na boca.

A matéria de Pedro Marques mostra que os pratos para dividir têm como objetivo conquistar o público com um preço mais em conta. O cardápio do restaurante Lilu, de André Mifano, é usado como exemplo da tendência. Mifano nos explica seu processo de criação: “Primeiro bolei o conceito, depois abri o restaurante”, conta o chef. Segundo Mifano, “o objetivo é dividir toda a experiência – e não só os pratos.” Por isso, ele diz que as mesas são mais próximas, a cozinha é aberta e próxima dos clientes e a casa tem iluminação mais clara.

Também destacamos a entrevista com Michael Ellis, diretor internacional nos guias Michelin. Destaque para os inspetores brasileiros: “Agora temos inspetores brasileiros que moram na Espanha. É mais interessante que estejam lá, pois é onde fica nossa base e também trabalham no guia espanhol e português. E eles vêm ao Brasil para visitar os restaurantes. (…) Mas todos os inspetores que vêm ao país (no total de seis) falam, no mínimo, espanhol.”

Estas matérias você só encontra na revista impressa, que já está nas bancas.

Americano teatral, a revista Prazeres da Mesa entrevistou o estrelado Grant Achatz dos restaurantes Alinea e Next

Matéria de Carlos Marcondes com o chef revela seu estudo e busca pela criatividade: “São diversas emoção que queremos gerar. Uma das nossas favoritas é o fator surpresa. Na experiência ‘The Gallery’, acomodamos os clientes em uma mesa coletiva, passando a impressão que jantariam com estranhos. Depois do primeiro prato, nós os levamos à cozinha e transformamos a ala dos fundos em sala de jantar com cinco mesas separadas. Isso cria uma tensão e alívio interessantíssimos para os convidados. Alguns grupos começam a conversar imediatamente, enquanto outros ficam mais reservados.”

Também destacamos matéria de Carolina Esquilante sobre a nova fase de Manu Buffara. A chef está abrindo as portas de um novo Manu em Curitiba, e a matéria de Flávia G. Pinho com Telma Shiraishi do Aizomê, destacando que mulheres à frente de restaurantes japoneses tradicionais são raridade.

A revista também traz toda a cobertura do prêmio Prazeres da Mesa, que já destacamos na coluna da semana passada.

Estas matérias você só encontra na revista impressa, que já está nas bancas.

A onda estrangeira, a revista Go Where Gastronomia destaca a chegada de dois chefs internacionais para comandar a cozinha de dois hotéis no Brasil

Matéria de Shirley Legnani mostra a movimentação do hotéis em São Paulo e a chegada de Olivier da Costa e Jean-Georges: “Nada de restaurantes tradicionais em endereços manjados. Duas grandes novidades gastronômicas da capital paulista vêm dentro de pomposos hotéis: o Seen, no Tivoli Mofarrej, e o restaurante Tangará Jean-Georges no térreo do Palácio Tangará, uma antiga construção que ocupa o lugar do antigo casarão do Parque Burle Marx, no bairro do Panamby.”

Destacamos também a matéria ‘As 10 mesas top de Nova York’, com a lista do crítico de gastronomia do The New York Times Pete Wells: Le Coucou, Gunter Seeger NY, Aska, Mr. Donahue’s, Agern, Le Coq Rico, Hao Noodle and Tea by Madam Zhu’s Kitchen, Olmsted, Liama Inn e Lilia.

Esta matéria você só encontra na edição impressa, que já está nas bancas.

Novidades do mercado

Novas casas na 2ª edição do Taste of  São Paulo

A edição deste ano do Taste of São Paulo reúne 30 dos principais restaurantes e bares da cidade. As novidades são: Dalva e Dito, Mercadinho Dalva e Dito, Açougue Central, Aizomê, Arábia, Buzina, Eataly, Jiquitaia, o ainda não inaugurado Vista, Nino Cucina, o bar Peppino, Tordesilhas, Ton Ton SP e o bar Veloso.

 

 

Restaurante Vista deve ser inaugurado no 2º semestre de 2017

Marcelo Corrêa Bastos também é um dos chefs que vai estrear no The Taste Brasil. No ano passado, ele fez uma palestra, mas este ano ele vai levar o  Jiquitaia, e estará apresentando pratos do novíssimo Restaurante Vista.

O vista será o restaurante no último andar do MAC, Museu de Arte Contemporânea com vista panorâmica do parque Ibirapuera. A inauguração está prevista para fim de agosto ou começo de setembro. O projeto é do grupo Indústria de Entretenimento.

O museu, que já funciona no antigo prédio do Detran em São Paulo, foi inaugurado em 1954. O prédio foi projetado por Oscar Niemeyer para abrigar o palácio da agricultura, mas de 1959 a 2008 foi sede do Detran de São Paulo.

Buzina in da House: ponto fixo do Food Truck no fim de julho

Durante o lançamento do The Taste São Paulo, Jorge Gonzalez falou da participação do Food Truck no evento com um espaço fixo, sem o truck. Algo interessante, pois ele e Márcio Silva estão perto de abrir seu primeiro ponto fixo em São Paulo.

No evento, Jorge aproveitou para avisar que a loja do Buzina deverá estar pronta dentro de um mês, portanto, no fim de julho ou começo da agosto. O Buzina in da House será inaugurado na Rua Cunha Gago, em Pinheiros.

 

Salumeria – Antipasti, Salumi & Formaggi

A nova casa de Rodolfo De Santis começou a operar no último dia 29 de junho. Era para ser um período de soft opening, mas em função de funcionar anexo ao Nino Cucina, a casa já está funcionando a todo o vapor. Veja matéria da Infood esta semana sobre o novo projeto.

 


Reginaldo Andrade
randrade@infood.com.br
A coluna Restaurant Man traz as principais notícias da semana 25 (19/6 a 25/6), um resumo do que foi noticiado nos principais jornais e revistas e do que foi apurado por nossa equipe

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como uma brigada de cozinha organizada pode trazer lucros e economia

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2018 Infood - Todos os direitos reservados