Recebo diversos contatos de pessoas interessadas em consultoria para abrir um novo negócio, empresas e fornecedores, mas as dúvidas que chamam mais minha atenção são a dos estudantes de gastronomia, que escrevem com dúvidas sobre a carreira profissional na cozinha e o caminho para se transformar num chef.

As dúvidas são as mais variadas, desde onde encontrar cursos de gastronomia que sejam confiáveis e que proporcionem uma boa formação, até de como se posicionar na carreira e quais caminhos devem ser seguidos para alcançar posições de destaque profissional e um dia se tornar um chef.

Resolvi contar uma dessas histórias aqui. A história transcrita é de uma jovem com dúvidas sobre a carreira e as dificuldades que encontrará no mercado de trabalho. Resguardarei nomes para manter a privacidade da pessoa envolvida.

Título da mensagem do formulário de contato: “Ser um chef”

“Olá Marcelo, estou em dúvida sobre a carreira na área gastronômica. Sei das responsabilidades administrativas, mas não sei como seria a iniciação. Vi um vlog de uma novata do curso, ela falou sobre algumas dificuldades, a realidade de um restaurante que algumas colegas de classe já trabalham, mas gostaria de saber se todos os restaurantes têm a mesa realidade, de só ter um dia de folga na semana, um domingo no mês para descansar…

E gostaria de saber o que você acha sobre curso profissionalizante antes da faculdade, se vale a pena estudar alguma coisa como algo na área gourmet, ou panificação, ou sei lá algo para ter uma noção antes de ingressar na faculdade de gastronomia. Ficaria muito grata com sua resposta, as dúvidas são imensas! Aguardo.”

Transcrevo minha resposta:

“Olá, é um prazer poder falar com você!
O universo gastronômico oferece uma série de oportunidades para quem realmente quer ter uma carreira profissional que é reconhecida e que pode levar você ao mundo inteiro, conhecendo os mais diversos países e culturas, além de poder trabalhar ao lado dos grandes chefs.
É uma carreira onde você terá muito mais trabalho do que imagina. Os turnos de trabalho são bastante “puxados”, e será necessário que tenha sempre em mente e no coração o amor e a paixão em primeiro lugar pela profissão.
Nenhuma faculdade, por melhor ou mais renomada que seja, forma chefs de cozinha. Ela forma cozinheiros profissionais que durante sua carreira atingem a posição de chef.
Ser chef é assumir responsabilidades que vão muito além das panelas e dos pratos bonitos e bem decorados. Vai muito além dos reality shows que, aliás, não retratam a realidade de uma cozinha profissional.
Os salários aqui no Brasil são realmente bastante baixos no início de carreira, o que torna mais difícil ainda conseguir superar as dificuldades impostas pela profissão.
Se você tem esse amor e essa paixão da qual falei pela cozinha, se isso está dentro de você e é parte integral de sua vida, então não desanime, nem com as dificuldades que aparecerão com toda certeza, nem com o imenso trabalho que terá para alcançar seus objetivos, porque você vai conseguir.

Quando comecei, há muito tempo, segui alguns conselhos:

  1. Aceitar a Mãe Natureza como a grande criadora e ser apenas o cozinheiro;
  2. Fazer pratos e criar receitas que são uma extensão do que eu sou enquanto pessoa;
  3. Refletir em minhas criações as origens, de onde eu vim, mantendo o amor e a paixão pela gastronomia;
  4. Lembrar sempre que jamais saberei tudo e que devo continuar aprendendo sempre, inclusive com aqueles que sabem, talvez, menos do que eu;
  5. Usar tudo o que estiver ao meu alcance e que vier do coração e da natureza para criar.

Trabalhar em um restaurante para sustentar sua faculdade e se manter é apenas parte do passo que você precisa dar para chegar lá. E prepare-se: a realidade  é essa, não há mais do que uma folga por semana e quase sempre são durante a semana. Domingos para descansar só um mesmo por mês, e isso se houver uma escala realmente bem feita.

Essa primeira escolha tem que ser feita baseada no racional, portanto, você precisará saber se está preparada para o “sangue, suor e lágrimas” que são provas de seu amor pela gastronomia. Feito isso, trabalhe para ganhar dinheiro, pois é ele quem vai pagar todas as suas contas.

Custo de vida alto ou baixo, você precisa ter em mente, que o objetivo é chegar lá e conquistar seu espaço, pouco importa se em São Paulo ou até em Nova York. Se você quer de verdade se tornar cozinheira e um dia chegar a chef, essa é apenas mais uma das escolhas que você terá que fazer.

Uma profissão não pode ser escolhida apenas pelo salário ou pelo tipo de carreira ou status perante a sociedade. É preciso ter amor pelo que vai fazer, ou então, a escolha levará você a um único resultado: a infelicidade. Todos os profissionais de sucesso que conheço amam o que fazem e fazem por amor. Dinheiro, carreira bem sucedida, posição social, reconhecimento são consequências justas desse amor.
Minha jovem, antes de dar qualquer passo, esteja segura e convicta de que escolheu a profissão que você ama para que seja feliz. A gastronomia traz para aqueles que a escolhem por amor, muito reconhecimento, mas não sem antes haver muito trabalho.”

 

texto - Marcelo Santos
*Marcelo Santos atuou como chef de cozinha, professor de gastronomia, consultor de alimentos e bebidas e escritor

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

As garrafas da Budweiser agora são feitas com 45% de material reciclado

Publicidade
Publicidade

Para receber a newsletter Infood, digite seu e-mail no box abaixo e clique na seta.

© 2018 Infood - Todos os direitos reservados